O E.T. foi às Termas de Cró

Sem comentários

É um excelente cenário para um filme de ficção científica… a chegada de uma nave espacial.
Serras enormes com barrocais. Só árvores e mato.

Termas de Cró - vista da encosta
Termas de Cró – vista da encosta

As montanhas circundam um pequeno vale onde, no centro,  estão duas estruturas cor de metal. 
Uma quadrada, a outra, em frente, parece uma nave.

Hotel Rural das Termas de Cró
Hotel Rural das Termas de Cró

A quadrada, com algumas concavidades retilíneas no topo, é um hotel com janelas grandes que refletem as nuvens e a natureza bruta, agreste.

Balneário das Termas de Cró
Balneário das Termas de Cró

A nave, em formato cónico e estrutura metálica, é o balneário das Termas de Cró,  da autoria do arquitecto Manuel Abreu que ganhou um concurso lançado pela Câmara Municipal do Sabugal.

Quem se aproxima do local, do alto da serra, sente-se tentado a parar o carro e contemplar as linhas futuristas das duas estruturas.
A surpresa e a curiosidade obrigam a uma paragem, pelo menos na entrada do complexo, para se perceber melhor os materiais e a estrutura da construção.

O complexo termal
O complexo termal

O complexo é recente. 
Primeiro surgiu o espaço termal, em 2011.
O hotel começou a funcionar em 2015, complementando o serviço das termas.

Ruínas das antigas termas
Ruínas das antigas termas e a ribeira

Algumas dezenas de metros ao lado, o cenário deixa de ser futurista e passa a melancólico.
Junto a uma encosta estão as antigas instalações das termas, hoje ruínas.

Ruínas das antigas termas
Ruínas das antigas termas

Pode-se passear, ver os balneários, as casas onde dormiam os aquistas, a iconografia do regime, um tanque de água e uma fonte que ainda está a funcionar.
São vários edifícios, dispersos, que sobem a encosta e o abandono só é quebrado pelo telhado da capela da Senhora dos Milagres.

No passeio, a melancolia é quebrada pela Ribeira do Boi (há também quem a chame ribeiro do Cró), afluente do Rio Côa que se torna colorido após a passagem de uma ponte de pedras de granito, improvisada.

Ribeira do Boi
Ribeira do Boi

A Ribeira corre calma, com água límpida e, após a passagem improvisada debaixo de uma ponte de pedras de granito, o curso de água surge-nos quase todo coberto por um manto de flores.

pontão sobre a Ribeira
Pontão sobre a Ribeira

Para esta zona, segundo o que foi noticiado, estava previsto a reorganização do espaço e a construção de um parque temático, denominado Parque dos Sentidos.

Vista das Termas de Cró
Vista das Termas de Cró

As termas de Cró ficam num lugar isolado, a 14 Km do Sabugal e entre as freguesias da Rapoula do Côa e do Seixo do Côa.
O acesso rodoviário é pela EN 324, que liga o Sabugal a Pinhel.

O E.T. foi às termas de Cró faz parte do podcast semanal da Antena1 Vou Ali e Já Venho e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, O E.T. foi às Termas de Cró, pode ouvir aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s