Descubra o charme do Luso e leve o garrafão

Um passeio turístico e no fim leva um ou mais garrafões de água. 
É esta a proposta e uma das particularidades da charmosa vila de Luso.

Sem comentários

Este slideshow necessita de JavaScript.

Muitos residentes na vila e nos lugares vizinhos e visitantes vão à fonte de São João encher vários garrafões para levar para casa. Gratuitamente, e a água até deve estar abençoada porque em cima da fonte está uma capela.

A Capela de São João Evangelista foi construída no início do século XVIII.

Fonte e Capela de São João Evangelista
Fonte e Capela de São João Evangelista

Encher o garrafão é um procedimento comum, já existe há várias décadas e tem a ver com a qualidade da água que permanentemente é debitada pelas 11 bicas e provém de uma fonte que se consegue ver através dos vidros.
Esta fonte está na encosta da serra do Bussaco e, segundo assegura o presidente da Junta de Freguesia, Claudemiro Semedo, a água, muito fresca, é absolutamente natural, sem qualquer tratamento.

Fonte de São João
Fonte de São João

Ao lado da fonte há um cartaz que dita as regras para que o costume não se transforme em exagero ou negócio paralelo. No entanto, ainda no testemunho do presidente da Junta de Freguesia, há gente que faz dezenas de quilómetros para vir aqui encher uma centena ou mais de garrafões.
Não admira, assim, que por vezes se encontre filas. Quem quiser aproveita a espera para ler os painéis de azulejos onde se explica porque o Luso é uma vila de água. Primeiro devido aos moinhos e mais tarde com as termas.

Termas de Luso
Termas de Luso

O alvará de concessão das Termas de Luso é de 1850. Uma Carta de Lei autoriza a Câmara Municipal da Mealhada a contrair um empréstimo de mil réis para expropriações e construção das casas de banho nos terrenos contínuos à nascente das águas thermais.
Em 1775 já havia uma utilização da fonte, designada Banho, numa estrutrura de madeira.
A construção do balneário principal das termas é exatamente no local da fonte que debita 408.000 litros de água por dia. 
As propriedades da água recomendam-na para tratamento de problemas renais, da pele e hipertensão arterial.
Recentemente o edifício das termas foi renovado e acrescentadas algumas valências.

Piscina Termal
Piscina Termal

A Piscina Termal é um dos lugares mais bem preservados e mantém a estrutura de ferro, que serve de proteção, e também as colunas. Esta estrutura é da autoria da casa Eiffel.

Gente famosa já fez aqui termalismo ou simples passeios, tirando partido do charme da vila e da Mata do Bussaco.
Agatha Christie andou por aqui, com alojamento no Bussaco. O rei D. Manuel II também esteve no Luso, como aquista, e visitou um dos edifícios mais encantadores da vila: o Casino.

Entrada para o Casino
Entrada para o Casino

É, talvez, o melhor exemplo do glamour que marcou o Luso e também uma das mais belas obras de Arte Nova em Portugal.
Na sua origem em 1886, o objetivo era ser um espaço de lazer e entretenimento para os aquistas e ao longo do tempo foi sofrendo alterações e mudanças de nome. Começou por ser Associação, depois Club e, quando da passagem do rei D. Manuel II, passou para o nome definitivo: Casino.

Casino
Casino

A entrada no jardim tem colunas de pedra decoradas e o muro é em ferro. Descemos uma escadaria de pedra e damos de frente com um pátio, decorado com mosaicos, e a porta de acesso ao interior do Casino.

Interior do Casino
Interior do Casino

O edifício tem várias salas, uma casa de chá e um salão de espetáculos onde se destaca a pintura no teto de Gabriel Constante, datada de 1910.
Em 2008, o edifício foi renovado e algumas das pinturas foram restauradas.
O Café do Casino foi também renovado e reabriu em 2016. É um espaço agradável que tira bom proveito do jardim e da beleza da Arte Nova.

Há ainda uma biblioteca e um núcleo museológico da Sociedade Águas de Luso, que tem mais de um século e meio de história. Realizam-se visitas guiadas com pedido de marcação.

Grande Hotel de Luso
Grande Hotel de Luso

Quem visita o Luso e gosta de arquitetura tem um outro lugar de passagem obrigatória: o Grande Hotel de Luso. Uma criação de Cassiano Branco, um dos arquitetos portugueses mais importantes do séc. XX devido aos seus projetos modernistas e visionários.
A cerca de 30km, há outra obra marcante de Cassiano Branco: o Portugal dos Pequenitos.
O Grande Hotel foi inaugurado em 1940 e outra particularidade é a ter uma piscina olímpica.

A ligação ferroviária para Espanha, com uma paragem no Luso-Bussaco, constituiu mais uma marca na história da vila e no património edificado.

paisagem de Luso
Paisagem de Luso

O comboio trouxe aquistas e turistas, o que permitiu o florescimento de pensões, hotéis e solares que, ainda hoje, são marcos nas ruas e na paisagem de Luso.
O comboio também levou para o Luso famílias abastadas e de sangue azul que procuraram abrigo em Portugal na II Grande Guerra.

Outros refugiados, com destino ao Luso, infelizmente, não tiveram a mesma sorte. Na biografia de Álvaro Cunhal, o Luso aparece como o local onde em 1949 foi preso pela terceira e última vez. O líder do PCP estava clandestino na vivenda do Casal de Santo António.

Para além das termas, o Luso tem ainda um Centro de Estágios, piscinas e pavilhões dedicados a atletas de alta competição.
A freguesia de Luso engloba uma parte significativa da Mata Nacional do Bussaco e está a cerca de cinco quilómetros da Mealhada, a sede de concelho.

Descubra o charme do Luso e leve o garrafão faz parte do podcast semanal da Antena1 Vou Ali e Já Venho e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, Descubra o charme do Luso e leve o garrafão, pode ouvir aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s