Em Murça a porca não torce o rabo

Sem comentários

A origem do nome Murça não é consensual. Pode ter a ver com o nome de um mouro, pode ser de origem hebraica ou remeter para a lenda da porca.

Largo com a estátua da Porca de Murça
Largo com a estátua da Porca de Murça

Diz a tradição popular que tudo começou há milhares de anos quando no lugar do Seixo, junto ao rio Tinhela, um animal feroz inquietava a população. Os habitantes juntaram-se, mataram o que lhes parecia ser uma ursa e o acto heróico foi simbolizado na estátua de pedra.

Senhor Medeiros na loja em frente ao largo
Senhor Medeiros na loja em frente ao largo

O senhor Medeiros, uma referência da vila, conta que depois deixou de se falar no caso, até porque não apareceram mais animais a colocar em causa a segurança da população.

Centenas de anos depois, a referência destas comunidades deixou de ser a ursa e o animal que, na altura, mais se adequava ao contexto local era o javali.
Recentemente, o imaginário popular adoptou o porco porque “é o animal que enriquecia uma casa transmontana. Uma casa onde não se matasse um porco cada ano, era muito modesta, pobre”, citando o senhor Medeiros.

Estátua da Porca de Murça
Estátua da Porca de Murça

Ficou assente tratar-se de uma porca mas custou à população do Seixo deixar sair a estátua e resistiu o mais que pôde. Só muitos anos depois é que foi transportada para o centro da vila, junto ao Pelourinho.

Agora está na praça 31 de Janeiro mas já mudou de posição. Primeiro estava virada para uma casa grande e agora está ao contrário, como dizem os populares, virada de cu para os farelos. De cu porque a porca não tem rabo.

A porca não tem rabo
A porca não tem rabo

A lenda fez o seu caminho, a “Porca de Murça” é uma referência e até uma marca registada. Como dizem na vila, são muitas as pessoas que vão visitar o largo da estátua e a referência é sempre “a porca de Murça”.

Uma outra explicação, esta mais baseada em trabalhos científicos, é que se trata de um porco e a estátua era relativamente comum nesta região, num passado longínquo.

Pelourinho
Pelourinho

Era um culto protetor de povos agro-pastoris, anteriores aos celtas, que, deste modo, pretendiam evitar perder prematuramente os seus animais.

Queijadas de Murça
Queijadas de Murça

Murça tem mais património edificado para se ver, algum interessante. Mas não se pode esquecer outra riqueza da terra: a muito saborosa queijada de Murça.

Em Murça a porca não torce o rabo faz parte do podcast semanal da Antena1 Vou Ali e Já Venho e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, Em Murça a porca não torce o rabo, pode ouvir aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s