Comareira – a dona Céu já não mora aqui

Sem comentários

 

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Maria do Céu e a filha nasceram e viveram muitos anos na Comareira.  Agora não, foram embora.

Maria do Céu e a filha
Maria do Céu e a filha

No presente, Comareira não tem qualquer habitante durante a noite.
Episodicamente alguns turistas pernoitam numa das casas de xisto que foi recuperada.

Casa na Comareira
Casa na Comareira

Há uma outra casa que dá sinais de estar habitada, tem horta ao lado e animais.
É ocupada por uma senhora de 74 anos de idade, também chamada Céu e a quem, todos os dias, o filho vem trazer aqui. Ela anda com as cabras, trata da horta e, ao final do dia, o filho torna a buscá-la.

Horta na Comareira
Horta na Comareira

Foi a última habitante desta aldeia do concelho de Góis que faz parte da rota das aldeias de xisto.

Ironia das ironias, conta um familiar de Maria do Céu, quando a aldeia tinha população, estava isolada e só anos depois começou a passar por aqui o padeiro e o merceeiro. Agora, que está deserta, tem transportes públicos que por aqui passam.

A serra vista da Comareira
A serra vista da Comareira

Comareira fica escondida na serra da Lousã, a pouco mais de meia dúzia de quilómetros de Góis e acede-se por uma estrada alcatroada muito estreita e não recomendável para quem tem pânico de encostas íngremes, tipo desfiladeiro.

A aldeia está rodeada de verde, poucas pessoas passam por aqui e tem uma dúzia de casas. 
A maior de todas está recuperada e oferece alojamento para turistas.

Casa de Campo da Comareira
Casa de Campo da Comareira

É a Casa de Campo da Comareira,  onde antes se faziam os bailaricos e tinha de se ir buscar o concertinista a outra aldeia. A Casa foi adquirida pela Câmara Municipal para revitalizar o turismo na aldeia e a gestão é da Lousitânea, Liga de Amigos da Serra da Lousã.

Casa térrea
Casa térrea

Muitas casas são térreas e serviam para guardar animais ou arrumação. Todas são de xisto, com telha portuguesa e com portados de madeira.
Há fornecimento de energia eléctrica às casas e às duas ruas, a da Parra e a Laura.

A povoação está no meio de uma encosta. Se descermos vamos dar a um terreno cultivado com uma horta e vinha.

Cães que gostam muito dos visitantes
Cães que gostam muito dos visitantes

Um dado comum a muitas das aldeias de xisto desta região é haver um comité de recepção canino: dois a três cães, meigos, vão de imediato ter com os turistas na esperança de conseguirem um alimento especial.

Para se chegar a Comareira o melhor percurso é pela N342, entre a Lousã e Góis.
A cerca de 4km de Góis há um desvio, devidamente assinalado para as Aldeias de Xisto.

Comareira – a dona Céu já não mora aqui faz parte do podcast semanal da Antena1 Vou Ali e Já Venho e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, Comareira – a dona Céu já não mora aqui, pode ouvir aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s