Fazer o queijo na Vale da Estrela

Sem comentários

A Vale da Estrela é uma das mais recentes queijarias da Região Demarcada da Serra da Estrela.

Foi inaugurada há menos de um ano e produz segundo os métodos tradicionais.

Queijo produzido de forma tradicional
Queijo produzido de forma tradicional

Cerca de uma dezena de queijeiras fazem o queijo apenas com leite cru, flor de cardo e sal. A coalhada é espremida à mão, seguindo os saberes ancestrais e muitas vezes transmitidas de geração em geração.

A Vale da Estrela está em S. Cosmado, em Mangualde e tem duas marcas interessantes.
A primeira é que se trata de um investimento de Jorge Coelho que regressa às origens e a uma actividade familiar.

Inauguração da queijaria
Inauguração da queijaria

O avô tinha um negócio de compra, tratamento e venda de queijo da Serra da Estrela e que ele se habitou a acompanhar. Muito do comércio era feito para algumas confeitarias em Lisboa.
Agora, o neto retoma o contacto com as queijarias e aposta na produção de queijo Serra da Estrela DOP.

Queijeiras a preparar o queijo
Queijeiras a preparar o queijo

A queijaria é visitável. Após marcação é possível ver as queijeiras a fazerem o queijo e o requeijão, perceber como o leite cru é coalhado, a arte das queijeiras e os requisitos para a produção de um queijo e requeijão certificado.
As vistas são acompanhadas por uma engenheira alimentar que lhes fornece essas explicações.

Traje de pastor no espaço multimédia
Traje de pastor no espaço multimédia

Há também um espaço multimédia onde é dado a conhecer a pastorícia na Serra da Estrela, as ovelhas bordaleiras e também a lã de ovelha e os trajes dos pastores. É também possível ver flor de cardo, que está na origem da coagulação do leite, artesanato local e livros em várias línguas sobre o queijo.
Este espaço fica no segundo piso e tem uma ampla vista sobre a área de produção.

A visita é mais recomendável de manhã quando começa a produção do queijo. É também indicado que seja feita a partir de Outubro quando as ovelhas reiniciam a produção de leite.

Ovelhas bordaleiras
Ovelhas bordaleiras

Os pastores e os rebanhos que fornecem a queijaria são todos da região de Mangualde. O leite é exclusivamente das ovelhas bordaleiras uma das raças bovinas autóctones e que é das mais resistentes ao frio, testemunha Carlos Lopes, um dos pastores que fornece a Vale da Estrela.

Carlos Lopes
Carlos Lopes

Tem 148 “cabeças” de acordo com a sua expressão e ele segue a tradição da família que vem, pelo menos, desde os bisavós e muito cedo decidiu também ser pastor.
Gosta de andar pelos campos, tratar da criação e do pasto para as ovelhas.
Pelo que já se apercebeu a tradição familiar vai prosseguir. O filho tem 4 anos e já deu sinais que também quer ser pastor.

Hoje Carlos Lopes tem menos colegas pastores, é uma profissão exigente e o rendimento não é grande mas não se queixa, diz que o importante é ter saúde, pernas para andar e coragem para os desafios da profissão.

Festa de Santo António dos Cabaços ©Ricardo Fonseca
Festa de Santo António dos Cabaços ©Ricardo Fonseca

A pastorícia é uma actividade com algum peso económico na região e a festa do padroeiro dos pastores, Santo António dos Cabaços é num monte mesmo ao lado da queijaria Vale da Estrela.
Os animais estão decorados e cada rebanhos de ovelhas e cabras anda cerca de 10 minutos a contornar a capela, um ritual classificado como “a benção dos rebanhos”.

Fazer o queijo na Vale da Estrela faz parte do podcast semanal da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e pode ouvir aqui. A emissão deste episódio, Fazer o queijo na Vale da Estrela, pode ouvir aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s