Linhares está entre o céu e a terra

Sem comentários

Este slideshow necessita de JavaScript.

Entre o céu e a terra é a imagem que os residentes usam para melhor retratar o enquadramento do castelo, o símbolo maior da aldeia medieval que se ergue imponente a mais de 800 metros de altitude.

O castelo é também o ADN de Linhares da Beira.

Castelo assente na base granítica
Castelo assente na base granítica

Revela a robustez destas gentes ao estar assente num maciço granítico.

Interior do castelo
Interior do castelo

A construção remonta ao séc. XI mas foi profundamente requalificado dois séculos depois para vigiar a fronteira com o Reino de Leão.

As duas torres, a de menagem e a do relógio, têm uma excelente vista para o vale em direcção a Viseu.

Janela manuelina
Janela manuelina

Em Linhares destacam-se ainda três solares que servem de montra para algumas das nove bonitas janelas manuelinas.

Logo à chegada deparamos com um desses solares onde hoje estão instalações do Inatel.

Onde passava a estrada dos almocreves
Onde passava a estrada dos almocreves

É também por aqui que passa a estrada dos almocreves, que fazia a ligação entre o Alto Mondego e a Cova da Beira. É um caminho medieval que aproveita parte do percurso de uma calçada romana.

Lugar de reunião do Fórum
Lugar de reunião do Fórum

Os romanos deixaram em Linhares da Beira um património raro que está bem conservado e que marcou a autonomia politica e administrativa da comunidade local. É o Fórum onde os chamados homens bons tomavam decisões sobre a comunidade e faziam aplicar a justiça.

Pelourinho
Pelourinho

Mesmo em frente do quadrado de bancos de pedra onde os homens bons se reuniam está o pelourinho. Está no meio do largo, foi edificado em 1510 e tem a esfera armilar e a cruz de Cristo, sinais de uma construção manuelina. Corresponde a uma segunda fase de afirmação local. O foral é de 1169 mas foi renovado por D. Dinis.

Recolha de produtos agrícolas
Recolha de produtos agrícolas

Convém subir em direcção ao castelo não pelo caminho mais curto mas pelo meio da povoação. Temos o prémio de ir ao miradouro com vista para a Serra da Estrela e ver alguns habitantes no trabalho agrícola.

Habitante de Linhares da Beira
Habitante de Linhares da Beira

Linhares da Beira tem 150 habitantes e a agricultura é a principal actividade económica. Alguns habitantes trabalham fora da aldeia.

Casa do Judeu
Casa do Judeu

Linhares tem ruas e casario bem preservado. É exemplo a entrada para a Rua da Judiaria. Em cima está uma casa com uma janela manuelina. É a Casa do Judeu e tem um arco por onde se entra na Rua da Judiaria.

Largo da Igreja Matriz
Largo da Igreja Matriz

No património religioso destacam-se duas igrejas. A que sobressai é a Igreja Matriz porque está no alto, ao lado do castelo. A origem é do séc. XII, foi profundamente remodelada cinco séculos depois e tem pinturas em madeira atribuídas a Grão Vasco.

Por último, uma observação para quem gosta de engenharia. Ao longo da aldeia há vários canais de água e que aproveitam a água que vem da Serra. Muitos canais são subterrâneos e têm pequenas portas giratórias de metal. Servem para orientar o fluxo para a irrigação dos terrenos na zona vizinha da aldeia.

Casa tradicional
Casa tradicional

Linhares da Beira pertence ao concelho de Celorico da Beira e faz parte das 12 aldeias históricas de Portugal.

Linhares está entre o céu e a terra faz parte do podcast semanal da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, Linhares está entre o céu e a terra, pode ouvir aqui

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s