Chiuu! Estou a dormir num monumento

Sem comentários

O olhar é diferente. Quando se está alojado num monumento a nossa perspetiva é muito diferente e temos um duplo papel que é inusitado: visitante e hóspede.

quarto na National Monument Muslibegovic House
Quarto na National Monument Muslibegovic House

Em primeiro lugar, passa a haver atenção aos objetos que nos rodeiam e não a habitual indiferença num hotel comum.
Em segundo lugar, o olhar é cuidadoso, minucioso. Alternamos entre os papéis de hóspede e de visitante.
Por último, porque são espaços históricos, imaginamos o que seria o dia a dia na rotina dos ocupantes originais.
Em Mostar tivemos uma outra sensação singular.

National Monument Muslibegovic House
National Monument Muslibegovic House

Após o pequeno-almoço, no alojamento onde pernoitámos, fomos para o pátio.
Começava a visita guiada, com turistas de outros locais, e fomos percorrer os espaços comuns da National Monument Muslibegovic House.

sala comum no primeiro piso
Sala comum no primeiro piso

O nosso quarto ficava ao lado do percurso da visita e a sensação foi estranha.
A National Monument Muslibegovic House é uma casa otomana, pertence à mesma família há mais de 300 anos e preserva a organização do espaço e algum do mobiliário desde a sua origem. Fica no centro da cidade de Mostar, na Bósnia.

Uma outra experiência foi na Pousada do Alvito. Ver nascer o sol, com a luz a reflectir-se nas paredes interiores do castelo.

Pousada do Alvito
Pousada do Alvito

Eu subi ao topo da muralha, de máquina fotográfica em punho, resguardado nas defesas de pedra e imaginava outros disparos e outras épocas. Ao mesmo tempo tira-se partido de se estar alojado e visitar os locais fora dos horários habituais propiciando, assim, fotografias de nascer do sol que de outro modo seriam impossíveis de conseguir. Houve ainda mais uma particularidade. Tratando-se de um castelo, a porta de acesso ao exterior é enorme, de madeira, e não foi fácil abri-la sem fazer barulho e acordar os hóspedes.

janela mudéjar
Janela mudéjar

Não queria estragar a sensação, que eu próprio usufruí, de acordar e ver a luminosidade entrar por uma janela mudéjar, prenúncio para um dia harmonioso.
A Pousada do Alvito remonta ao século XV e destaca-se ainda pelo jardim interior e pela torre de menagem com características góticas.
Está classificada  como Monumento Nacional desde 1910.

O Palácio do Freixo também foi classificado  no mesmo ano mas teve uma vida mais atribulada e até já foi ameaçado por fábricas de sabão, de moagem e pelo abandono.

Palácio do Freixo
Palácio do Freixo

É de estilo barroco, faustoso, remonta ao séc. XVII e a última requalificação foi em 2009, para pousada.
A vivência é diferente da Pousada de Alvito. A começar pelo Douro, mesmo ali ao lado, e que funciona como postal ilustrado do serviço despertar.

interior do Palácio do Freixo
Interior do Palácio do Freixo

O interior é mais labiríntico e tem, igualmente, objetos em exposição.
O quarto onde fiquei, além do Douro, tinha uma enorme torre de tijolo em frente. Primeiro estranha-se, depois entranha-se.
Nestes três locais distintos, um outro ponto comum: o serviço, que prima pela qualidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s