Museu do Brincar em Vagos

Sem comentários

O Museu do Brincar não é para ver. É para brincar, interagir, mexer nos bonecos, para vestir as bonecas ou vestir-nos de índios, para imaginar, experimentar e divertir.
Esta é a grande particularidade deste Museu: pode-se brincar.

Brinquedos em exposição. Outros são para brincar
Brinquedos em exposição. Outros são para brincar

O acervo do Museu do Brincar é de 30 mil brinquedos e 1500 estão sempre em exposição. Estão organizados por diversas coleções, como por exemplo, aviões, bonecos, máscara, carros, som e imagem.

Teresa Alhais no corredor com um brinquedo
Teresa Alhais no corredor com um brinquedo

Os brinquedos estão por todo o lado nos dois pisos da casa. Nas paredes, no chão, em mesas, roupeiros. Enchem todo o espaço. É um mundo a brincar, de imaginação e faz de conta.


Todos os anos o museu escolhe um tema transversal para a brincadeira. Já foi “brincar sobre rodas” ou “brincando pelo Mundo” que reunia brinquedos de todos os continentes.

A sala dos índios
A sala dos índios

Para além do tema comum, ao percorrermos os vários corredores e pequenas salas, encontramos espaços temáticos.

Brinquedo de rolamentos usado nas gerações anterioresDesenganem-se os que pensam que são apenas as crianças que se deleitam com a brincadeira. Conta Teresa Alhais, guia do Museu, que por vezes fica surpreendida com os mais idosos devido à relação afetiva com alguns brinquedos que lhes aviva a memória e por outro lado manifestam imenso prazer em brincar.

Pista de comboio
Pista de comboio

O prazer de brincar é a alma do Museu e é assumido através do lema “Brincar para sempre” porque o que se pretende é manter vivo o desejo de brincar, algo que é permanente na nossa vida e que contribui para a felicidade de cada um.

O Brincar para Sempre é também um contributo para a descoberta, o despertar da curiosidade e até para uma vida mais sadia. As crianças de hoje não têm apenas brinquedos diferentes elas também deixaram de brincar na rua ou no recreio das escolas.

Dado muito antigo
Dado muito antigo

É tendo em conta o lema do Museu e o desejo que todos possam brincar que há também um propósito pedagógico junto das crianças e dos pais. Por exemplo, o simples contacto com um brinquedo muito antigo, mesmo que seja uma réplica pode despertar na criança a percepção de que outras pessoas com a mesma idade também brincavam há centenas de anos, com o mesmo prazer e objetos que também revelavam criatividade.

Carlos Rocha
Carlos Rocha

Carlos Rocha é fundador do Museu mais a mulher e são os donos da coleção de brinquedos que foi cedida a uma associação. Carlos Rocha tem ainda a particularidade de ser o único Pai Natal certificado na Península Ibérica. Tirou um curso numa escola norte americana, incorpora não apenas os princípios de São Nicolau como também a barba branca, mas isso ficará para outra história.

A bilheteira também é a brincar
A bilheteira também é a brincar

O Museu do Brincar abriu as portas ao público em 2012 e está sediado num bonito palacete em Vagos. É privado e tem um protocolo com a Câmara Municipal.
Tem ganho vários prémios, designadamente como um dos melhores museus para a família.
Museu do Brincar em Vagos faz parte do podcast semanal da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, Museu do Brincar em Vagos, pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:
Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s