Fajã dos Vimes

Sem comentários

A ilha de S. Jorge é formada por encostas íngremes. Arribas muito altas e apenas em lugares muito próximos do oceano existem zonas planas, um pouco acima do nível do mar. São as fajãs e constituem uma das características identificadoras da ilha de S. Jorge.

Fajã dos Vimes
Fajã dos Vimes

Estão classificadas pela Unesco como Reserva da Biosfera.
Ao todo há mais de 70 fajãs na ilha e uma das maiores e que melhor exemplifica o dia a dia nestes lugares é a Fajã dos Vimes.

Fica na freguesia da Ribeira Seca e está protegida por uma encosta com cerca de 400 metros de altura.
A maioria dos habitantes vive da agricultura, com uma economia familiar que se carateriza ainda pela plantação de café, inhame e o fabrico artesanal das famosas colchas de S. Jorge.

Fajã dos Vimes
Fajã dos Vimes

Os visitantes percorrem facilmente ruas e lugares onde se podem ver as plantações ou assistir às tecedeiras a trabalhar em teares tradicionais, alguns com mais de um século.

Junto ao mar está a igreja e um império, uma casa pequena, de arquitectura popular e associada à irmandade do Espírito Santo.

Notas nas paredes do Café Nunes
Notas nas paredes do Café Nunes

Há ainda o café com as paredes repletas de notas oferecidas por emigrantes e estrangeiros. A maior parte são dólares. Algumas notas têm escrito quem as ofereceu e o lugar de origem.

Plantação de café na Fajã dos Vimes
Plantação de café na Fajã dos Vimes

A família Nunes, proprietária do café tem ainda a maior plantação de café em todo o arquipélago.

As casas de basalto marcam a preto e branco a zona mais plana da fajã e ainda há sinais dos socalcos nas escarpas onde se faziam plantações.

Casas na encosta
Casas na encosta

António Gomes, Presidente da Associação dos Amigos de Fajã dos Vimes, destaca igualmente os caminhos que iam dar às moradias e que são agora passeios pedestres.

Casa tradicional reconstruida
Casa tradicional reconstruida

A agricultura e o casario sofreu uma profunda transformação com o tremor de terra de 1757, dois anos depois do mesmo ter sucedido no Continente. Aqui também foi devastador. Destruiu por completo Fajã dos Vimes e rapidamente a população reconstruiu por sua própria iniciativa as casas e o templo religioso. No entanto, viviam em pobreza profunda e todos trabalhavam para o vínculo do Conde de Aveiras.

Encostas com quatro centenas de metros de altura
Encostas com quatro centenas de metros de altura

Uma propriedade que ia da Fajã dos Vimes até ao final da encosta do outro lado da ilha.
O primeiro juiz de fora, João Ricardo Galhano, oriundo de Aveiro, escreveu ao Rei D. José a denunciar a situação de quase escravatura dos trabalhadores agrícolas que, alem do mais, tinham reconstruído a povoação e era profundamente injusto a situação a que estavam submetidos.
Por carta régia D. José ordenou que a propriedade da terra fosse entregue a quem a cultivava.

Na Fajã há alguma pecuária
Na Fajã há alguma pecuária

Em termos de propriedade agrícola a Fajã dos Vimes tem ainda a particularidade de ter artigos, propriedades rurais, muito pequenas. Com menos de uma dezena de metros quadrados. Vêm-se facilmente devido às divisórias de pedras um pouco acima da igreja.

Inhames no Rio
Inhames no Rio

Estão numa zona fértil a que chama “Rio” por passar um pequeno ribeiro. Este terreno era muito procurado para a plantação de inhame, um produto essencial na dieta alimentar e que foi introduzido nos Açores antes da batata. Ainda hoje se encontram no Rio várias plantações de inhame.

Moinhos de água
Moinhos de água

Na estrada para a Fajã dos Vimes há vários miradouros deslumbrantes e uma paragem obrigatória é num desfiladeiro onde uma ribeira é aproveitada por vários moinhos de pedra.

Vista para o Pico
Vista para o Pico

A estrada é companheira da vista para o canal de S. Jorge e a ilha do Pico. Uma paisagem natural que está em constante mudança, em particular a vista para a montanha mais alta de Portugal.

Salvaterra do Extremo e la Mayor faz parte do podcast semanal da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, Salvaterra do Extremo e la Mayor, pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s