O madeiro de Penamacor já não vai à tropa

Sem comentários

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os de Penamacor dizem que é o maior madeiro de Portugal. Sentem orgulho e até estão a preparar uma candidatura a património imaterial da humanidade junto da UNESCO.

site_penamacor_vila_madeiro_DSCF5617
Registaram a marca Vila Madeiro

O madeiro é uma tradição da Beira, talvez de origem celta, e no século passado esteve associado ao serviço militar obrigatório. Era organizado por jovens que iam à inspeção ou quando começavam a tropa, como é o caso de Penamacor.

Jovens que organizaram o madeiro ©CMPenamacor
Jovens que organizaram o madeiro ©CMPenamacor

Em todas as situações funcionava como um ritual de passagem para a idade adulta.
Quem realiza o madeiro são os jovens que fazem 20 anos. Inicialmente eram apenas os rapazes. Agora juntam-se as raparigas porque até já podem fazer o serviço militar.

São várias árvores empilhadas na praça da igreja
São várias árvores empilhadas na praça da igreja

Como gesto de afirmação de maioridade os jovens não queriam estar na dependência da vontade de outros. O madeiro era roubado. Identificavam o local e na noite de 7 para 8 de Dezembro cortavam as árvores e transportavam-nas em carros de boi para o centro da vila.
O madeiro foi sempre de sobreiros que nesta região é designado no género feminino: sobreiras.

A festa na noite de 7 para 8 de Dezembro na Srª do Incenso ©CM Penamacor
A festa na noite de 7 para 8 de Dezembro na Srª do Incenso ©CM Penamacor

Esta tradição do corte e do transporte mantém-se e constitui o primeiro ponto alto do madeiro. Durante a noite há uma festa no recinto da Senhora do Incenso onde a madeira é recolhida. É uma festa improvisada com muito caldo verde oferecido pelo grupo organizador. Habitualmente há música.

O transporte para o largo da igreja ©CMPenamacor
O transporte para o largo da igreja ©CMPenamacor

No dia 8 de Dezembro são cerca de duas dezenas de tratores que fazem um desfile com o transporte das sobreiras para o adro da igreja. Dia 8 é feriado religioso – Imaculada Conceição – e as pessoas ficam a aguardar a chegada do madeiro no final da missa.

Colocação do madeiro  ©CMPenamacor
Colocação do madeiro ©CMPenamacor

O largo da igreja não é muito grande e é preciso perícia e trabalho para montar o madeiro com vários troncos enormes de sobreiras. É uma operação que demora toda a tarde e costuma prolongar-se pela noite.

Madeiro fica até à noite de 23 para 24 no largo, junto à estrada ©CMPenamacor
Madeiro fica até à noite de 23 para 24 no largo, junto à estrada ©CMPenamacor

O madeiro fica em exposição até dia 23, mesmo junto à estrada.
Na noite de 23 para 24, à meia noite, é ateado o fogo e com frequência os bombeiros lançam jactos de água para controlar as chamas porque o madeiro fica mesmo ao lado da igreja.

A festa do madeiro na noite de 23 para 24 de Dezembro ©CMPenamcor
A festa do madeiro na noite de 23 para 24 de Dezembro ©CMPenamcor

É nesta altura que se juntam milhares de pessoas. Muitos são visitantes.
site_penamacor_madeiro1eAs árvores do madeiro já estão no final do seu ciclo de vida. Estão doentes e para abate. Por outro lado, nos último anos e por impulso da Câmara Municipal há um processo de plantação de novas sobreiras e em número muito maior às que são cortadas.

Plantação de sobreiros  ©CMPenamacor
Plantação de sobreiros ©CMPenamacor

Além de renovarem as sobreiras é outra forma de garantir a continuidade da tradição.
Pelo que conta Ilidia Cruchinho, que na Câmara Municipal há vários anos acompanha a organização do madeiro,  há uma forte motivação dos jovens em continuar com o madeiro, mesmo que o contexto do serviço militar obrigatório já se tenha alterado.

site_jovens2_cmp
Cada ano há um grupo que organiza o madeiro  ©CMPenamacor

“Estão ansiosos que chegue o ano deles porque querem afirmar-se. Mostrar o seu contributo junto da comunidade”.

Visitar outro património

A visita a Penamacor ao madeiro pode ser complementada com um roteiro pela vila.

A vila e o castelo
A vila e o castelo

Tiago Alves pertence a uma empresa que organiza visitas a lugares históricos de Penamacor, Amarcor, sugere três locais para quem tem pouco tempo: o castro medieval que está ainda relativamente bem preservado e tem vestígios da presença judaica.

Muralhas do castelo
Muralhas do castelo

No interior da vila há várias estruturas relacionadas com a guerra da Restauração como são exemplo os baluartes e o ex-libris que é o Convento de Santo António.

site_penamacor_convento_DSCF5639É neste convento que no decorrer dos festejos se realiza uma das três visitas guiadas e encenadas promovidas pela Câmara Municipal. Conta André Oliveirinha que o objectivo é dar a conhecer o património da vila de uma forma mais didáctica. Por exemplo, no “edifício fantástico” que é o Convento é dado o conhecer o património artístico e arquitectónico e a vida conventual com dois monges franciscanos. No final há um concerto com música instrumental da época.
site_penamacor_marcoOs outros temas de visitas guiadas e encenadas são “Penamacor medieval” e “Figuras factos e lugares”.

Ilidia Cruchinho
Ilidia Cruchinho

O madeiro de Penamacor já não vai à tropa faz parte do podcast semanal da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, O madeiro de Penamacor já não vai à tropa, pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s