Os caminhos dos judeus de Bragança

Bragança teve uma das maiores e mais dinâmicas comunidades de judeus em Portugal e, de certa forma, houve um apagão da sua presença. Nem sequer há certezas onde tenha sido exactamente a sua localização. Até os habituais sinais cruciformes nas ombreiras das portas são muito poucos.

Centro de Interpretação da Cultura Sefardita do Nordeste Transmontano  ©CICS
Centro de Interpretação da Cultura Sefardita do Nordeste Transmontano ©CICS

No entanto, tiveram uma presença muito forte. Por exemplo, no final do séc. XV, com a expulsão por parte dos Reis Católicos, passaram a fronteira cerca de três mil judeus.
Algumas décadas depois foi a partida forçada de Portugal e o percurso destas famílias é um dos núcleos do Centro de Interpretação da Cultura Sefardita do Nordeste Transmontano.

Centro de Interpretação da Cultura Sefardita do Nordeste Transmontano ©CICS
Centro de Interpretação da Cultura Sefardita do Nordeste Transmontano ©CICS

Há um painel em que num ecrã táctil escolhemos uma família judaica de origem ibérica que foi forçada a partir de Bragança e somos informados do percurso que fizeram. O caminho tem referências sobre a acção que desenvolveram nos locais de passagem e onde passaram a residir. Deste modo, percebemos a dinâmica destas famílias e a influência que tiveram em várias comunidades.

Há também uma árvore, na entrada, com bolas que representam alguns desses lugares.
CICS na "Rua dos Museus"  ©CICSO Centro está na chamada Rua dos Museus. É um projeto da autoria do arquitecto Souto Moura. Está patente informação sobre os judeus sefarditas e em particular de alguns que conseguiram grande relevância a nível nacional e internacional.
©Foi inaugurado em 2017 e meses depois foi complementado com outro espaço expositivo: o Memorial e Centro de Documentação. Tem um maior pendor religioso. Nas duas estruturas está muito presente a memória da comunidade judaica nesta região ao longo de vários séculos. As famílias que foram obrigadas a mudar de país ou as que foram obrigadas a mudar de religião.
Hernâni Dias, presidente da Câmara de Bragança estabelece também um elo com a comunidade judaica no lado espanhol e que tinha uma grande proximidade com a de Bragança.

Centro de Interpretação da Cultura Sefardita do Nordeste Transmontano  ©CICS
Centro de Interpretação da Cultura Sefardita do Nordeste Transmontano ©CICS

Uma parte significativa da informação e dos conteúdos do Centro e do Memorial resultam de investigação à qual se quer dar continuidade. Neste sentido, realiza-se em Bragança entre 19 e 23 de Junho o segundo Congresso Internacional Terras de Sefarad que se dedica à cultura judaica e que reúne especialistas internacionais. Alem das conferencias o programa envolve concertos, cinema judaico e exposições de fotografia.

Hernani Dias
Hernani Dias, presidente da Câmara de Bragança

Os caminhos dos judeus de Bragança faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s