As portas e a piscina de Foz do Cobrão

Foz do Cobrão tem uma praia fluvial muito bonita. Com mais rigor é uma piscina natural.
site_cobrao_piscina_DSCF3416O ribeiro desce a serra das Talhadas numa encosta junto à aldeia. Passa mesmo ao lado do casario e forma um espelho de água com um pequeno areal antes de se projetar na Cascata Poço de Mel e depois deixa-se escapar por debaixo de uma ponte.
siteG_cobrao_piscina_DSCF3424No meio do espelho de água está um enorme rochedo que aumenta o encanto do lugar e acrescenta uma perspetiva rústica e natural.


O ribeiro foi sujeito a obras, a zona está limpa, é “natureza pura e dura” na expressão de Ana Dias do Turismo de Vila Velha de Ródão.
Praia ou piscina, classificações à parte, o espelho de água é muito procurado e alguns são turistas que param o carro após a ponte e depois dão um mergulho no Cobrão, o nome do ribeiro e que está na origem da designação da aldeia.

siteG_foz_cobrao_hdrConforme adianta Manuel Barateiro, dono de um café, o ribeiro vai pouco depois desaguar no Rio Ocreza.
siteG_portas_almourao_hdrOutro lugar de visita obrigatória são as Portas de Almourão, um geossitio do Parque Naturtejo.
Podemos ver um longo vale escarpado em que a Serra das Talhadas comprime o Ocreza. Este vale está a ser formado pelo rio há dois milhões de anos. A Serra colocou fragas muito altas a travar o curso de água. No entanto, fruto da erosão, o rio abriu uma passagem que foi ficando mais larga e mais profunda.
siteG_portas_almourao_DSCF3469Podem-se ver as Portas a partir de um miradouro que foi construído numa encosta da serra. Fica de frente para o rio embora a uma distancia considerável.
Quem queira molhar os pés ou ver mais próximo há um trilho devidamente sinalizado que leva os visitantes até às profundezas do vale. No percurso pode ter a sorte de ver grifos e abutres.
site_portas_almourao_DSCF3466Entre as rochas, próximo das margens também poderá encontrar fósseis com milhões de anos. Com mais sorte ainda poderá confirmar a veracidade de muitas lendas que, como é habitual, envolvem muitas mouras.
siteG_cobrao_oliveiras_DSCF3411A vista revela também terrenos de difícil aproveitamento agrícola. Uma das técnicas para contornar esta dificuldade foi a construção de socalcos para plantar oliveiras.
siteG_cobrao_DSCF3445Outra vista da serra da Talhadas e do rio Ocreza é do alto de Foz do Cobrão, um pouco antes do miradouro. Vemos o Ocreza a espraiar-se devido a um açude e do outro lado do rio está a aldeia de Sobral Fernando. Parece uma irmã gémea de Foz do Cobrão porque também se alonga pela encosta da serra.

Conheira em Sobral Fernando
Conheira em Sobral Fernando

Tem muitas pedras espalhadas próximo do rio Ocreza e fazem parte da Conheira de Sobral Fernando. São resultado de uma longa atividade de extração de ouro desde os romanos com recurso a água.

siteG_cobrao_DSCF3403A Serra das Talhadas tem 27km de extensão e no caminho para Sobral Fernando consegue-se ver no cume cristas quartziticas. Estas rochas constituíram-se há vários milhões de anos a partir de areias finas que estavam no fundo de um oceano.
Ver ainda Gafoz – Grupo dos Amigos de Foz do Cobrão e
Associação para o Desenvolvimento do Sobral Fernando.
siteG_cobrao_DSCF3413As portas e a piscina de Foz do Cobrão faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s