A "valsa das vivas" com a Charola de Conceição de Faro

Uma manifestação popular associada à quadra natalícia no Algarve é desenvolvida pelas chamadas charolas e remontam à época medieval. Um grupo de pessoas com instrumentos musicais, um estandarte e num tom festivo sobressaem pelos seus cantares e efeitos decorativos.
O nome de Charola tem a ver com o meio onde era transportado o menino e que era levado porta a porta.

Caixa do Menino ©Charola do Grupo Cultural e Desportivo
Caixa do Menino ©Charola do Grupo Cultural e Desportivo

Vitorino Inácio, presidente da Casa do Povo de Conceição de Faro, diz que é  “uma tradição dos nossos antepassados que cantavam ao ar livre com vários instrumentos. Naquele tempo iam às casas, de porta a porta. Tocavam e cantavam e em troca recebiam um cálice de aguardente de medronho, um figo, uma bolacha…”
site_charola_videoA Casa do Povo de Conceição de Faro preserva a Charola do Grupo Cultural e Desportivo desde 1980. A Charola tem quase 28 membros e tem tido adesão de gente mais nova. Cerca de metade são jovens. “O repertório também é renovado.

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Conceição de Faro
Rancho Folclórico da Casa do Povo de Conceição de Faro

Este ano o ensaiador é o professor de música Jorge Alves que é muito conhecido. Ainda este ano esteve em Loulé num festival mundial de acordéon. Neste festival, três elementos que fazem parte da casa do Povo foram distinguidos. Um foi eleito o melhor no seu grupo etário, outro ficou em segundo e o restante foi oitavo.”
site_charola_video2As charolas permanecem essencialmente no Sotavento algarvio e com uma expressão publica que começa no dia de Ano Novo. Tem outro ponto alto no dia de Reis e estende-se por muitos mais dias. Segundo Vitorino Inácio a Charola do Grupo Cultural e Desportivo durante o mês de Janeiro costuma fazer 35 a 40 atuações. “Por vezes, ainda são convidados para além desta época festiva. Os restaurantes e hotéis convidam-nos para fazermos mais atuações até meados de Fevereiro.
site_charola_video3Nos últimos anos são muito poucas as atuações nas ruas, no porta a porta. Diz Vitorino Inácio que  no passado era tradição os membros da charola serem ofertados com um copo de aguardente de medronho. Ao final do dia sentia-se o efeito das ofertas. Esta manifestação popular, que era maioritariamente dos pequenos lugares, nem sempre era bem vista em meios urbanos. Devido aos efeitos da aguardente. Hoje a situação é muito diferente. As charolas são bem recebidas. “Temos uma grande recetividade, as pessoas são muito simpáticas. Todos os anos organizamos um festival de charolas na nossa Casa do Povo para o qual são convidados 5 a 6 charolas e está sempre cheio de gente a assistir. Também participamos num muito relevante que é organizado pela Câmara Municipal de Faro e que decorre no Teatro das Figuras.
site_festival_charolaO festival de charolas na casa do Povo de Conceição de Faro é a 4 de Janeiro. No dia de Reis é na aldeia de Bordeira.
Se for a um destes festivais vai ouvir versos irónicos que são improvisados em função dos ilustres da plateia. Habitualmente são convidados oficiais que são alvo das chacotas ou como chamam noutros lugares, a valsa das vivas.
Vai haver chacotas com a Charola de Conceição de Faro faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo