As terras do Rio de Asnos

Mosteirinho é atravessada por uma ponte metálica atribuída a Gustave Eiffel e Couto de Baixo, também no concelho de Viseu, preserva o pelourinho e a memória de quando as duas terras pertenciam ao concelho do Rio de Asnos.

Mosteirinho é uma pequena aldeia do concelho de Viseu que muitos observam do alto da ponte ferroviária. É conhecida como Ponte de Mosteirinho mas há também quem a chame por Ortigueira. Fazia parte da antiga linha ferroviária do Dão.

A circulação foi encerrada em 1990 e nos últimos anos foi adaptada a ecopista. Muita gente faz a travessia a pé ou de bicicleta e ficam com uma visão geral do vale e de Mosteirinho que olha com orgulho para a ponte atribuída a Gustave Eiffel.

É o principal monumento da povoação. É uma ciclovia. Há muita gente a andar de bicicleta e a pé. Também há gente daqui, também fazem caminhadas. Da ponte vê-se a povoação na totalidade e há a vista para o Caramulo e para outros lados.

A vista para o Caramulo é muito bonita” A descrição é de Fernando Correia. Vive em Mosteirinho, a sua terra natal, e no registo do património da sua aldeia destaca o antigo mosteiro e a ponte.
Do mosteiro já pouco se vê. A área está cultivada. Tira proveito da passagem da ribeira de Asnes.

O que chegou aos dias de hoje e está bem preservado é a pequena e bonita igreja de S. Salvador do Mundo.
Podemos espreitar para o interior de uma das janelas. Um arco em pedra faz de antecâmara do singelo altar-mor.

A capela está inserida numa zona antiga com casas de granito, ruas estreitas e pequenas hortas.
O peso da história já não se sente tanto como na aldeia ao lado, Couto de Baixo que, em conjunto com Mosteirinho e mais alguns lugares, faziam parte dos Coutos de Santa Eulália propriedade do Mosteiro de Lorvão.

Receberam de D. Manuel o foral com o nome de Rio de Asnos. O concelho foi extinto em 1837, mas hoje ainda podemos ver o lugar que evoca essa memória. O Largo do Pelourinho rodeado da igreja, altiva, com o campanário ao centro, com dois sinos. O largo é grande, a rua foi alargada no século XIX e na altura desviaram o pelourinho.

Segundo a DGPC, ao deslocarem o pelourinho aproveitaram o peso de um lagar que serve agora de base ao monumento classificado de Imóvel de interesse público. Os antigos degraus do pelourinho terão sido usados na calçada.

O pelourinho está ao lado da fonte de Santa Eulália e em frente do edifício dos antigos Paços de Concelho, um edifício grande, construído em granito.

As terras do Rio de Asnos faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.