Os gatos na judiaria de São João Pesqueira

São João da Pesqueira teve uma comunidade judaica, há documentação que prova a sua existência desde o inicio do século XV mas, na verdade, não se sabe exatamente onde era a judiaria. A dedução é que seria no interior das muralhas fernandinas, na área que hoje corresponde à rua Nova e à rua dos Gatos.…

Ler Mais

A judiaria da Covilhã e a herança que chega aos dias de hoje

A comunidade judaica foi uma lufada de ar fresco na cidade e ainda hoje se registam as marcas que deixaram em particular nos lanifícios. Na rua das Flores podemos ver pequenas casas de dois ou três pisos com a tradicional porta grande e porta pequena. Uma até tem uma janela manuelina e outras têm no…

Ler Mais

Barcos tradicionais da Ria Aveiro e as pinturas atrevidas nos moliceiros

A Ria de Aveiro tem um património fabuloso. A foz do rio Vouga alarga-se por múltiplos canais ao longo da costa numa extensão de quase 50 Km de Ovar até Mira. A riqueza do património natural é significativa, mas, talvez, a mais singular é a grandiosidade do património cultural. Um dos ícones é o moliceiro.…

Ler Mais

Fábrica e nucleo histórico das Conservas Santa Catarina

A pesca do atum, com uma boa frota de Salto e Vara, e a indústria conserveira fazem parte da tradição açoriana. Por exemplo, na década de 50 do século passado, todas as ilhas, com exceção do Corvo, tinham uma unidade conserveira de atum. A proximidade com a pesca do atum ajudou a florescer esta indústria…

Ler Mais

“Nada justificava o ser humano sofrer tanto” – testemunhos da pesca do bacalhau

O fascínio do mar e o heroísmo dos pescadores do bacalhau no Atlântico Norte estão representados em detalhe no Museu Marítimo de Ílhavo. A cidade é uma terra dedicada ao mar e a muitas atividades na Ria de Aveiro. O porto da Gafanha da Nazaré está muito próximo com os barcos que vão à pesca…

Ler Mais

Museu e a herança judaica nos lanifícios da Covilhã

Um dos mais bem conseguidos museus do Interior de Portugal Continental é o Museu dos Lanifícios da Universidade da Beira Interior na Covilhã. É fascinante o património que preserva e que ilustra o ciclo da lã. Outro testemunho relevante é a herança judaica no desenvolvimento industrial dos lanifícios. Na antiga tinturaria da Fábrica Real de…

Ler Mais

Cardílio e Avita foram felizes

Os donos de uma vila romana do séc. IV, próximo de Torres Novas, deixaram o seu retrato e a revelação de felicidade nos mosaicos que só muitos séculos depois foram descobertos. Quando visitamos as ruínas encontramos muitos destes mosaicos que cobrem o piso de algumas salas da vila romana. Os mosaicos são feitos de pequenas…

Ler Mais

As azenhas da ribeira de Cortes na serra da Estrela

Eram muitas as azenhas junto à ribeira de Cortes e davam algum sustento às famílias que viviam isoladas na vertente sul da serra da Estrela.A mais de 1.500 metros de altitude, com poucos recursos naturais que eram apenas aproveitados por pastores que subiam com os rebanhos até às Penhas da Saúde. Ainda hoje a paisagem…

Ler Mais

A farinha das azenhas do Inferno, Purgatório e do Paraíso … na Torre

Na garganta do rio Ocreza, pouco depois da nascente, os romanos extraíram ouro e o metal precioso está na origem do nome do rio que aqui ainda tem o estatuto de ribeira. Mais recentemente, um do sustento de muitas famílias que viviam nesta zona da serra da Gardunha, entre Casal da Serra e a Torre,…

Ler Mais

Os moinhos de Souto Bom e a vista da serra do Caramulo

Os moinhos de Souto Bom encontram-se num dos pontos mais altos da serra do Caramulo. Muitos foram recuperados após terem sido destruídos por um incêndio como também um passadiço que nos leva próximo da ribeira da Pena.Na subida da serra, a caminho de Souto Bom, ficamos de imediato seduzidos pela paisagem que se perde num…

Ler Mais

As queijeiras em bracejo de Sortelha

Com algum esforço e muita criatividade Arminda Esteves entrelaça o bracejo e produz uma grande diversidade de objetos para a casa. Uns funcionais, outros mais decorativos. No passado a planta era mais utilizada para funções práticas, “vassouras para varrer as casas. E para aos animais, para quem tinha vacas e burros. Iam apanhar para eles…

Ler Mais

Andante, que hoje é o Dia Mundial da Leitura em Voz Alta

Hoje, 1 de Fevereiro, é o Dia Mundial da Leitura em Voz Alta e a data foi assinalada com o espetáculo ABSURDEZ (isto não faz sentido nenhum) produzido pela Andante Associação Artística, em parceria com o Clube de leitura em voz alta Clevinhas da EB Professor João Dias Agudo, Agrupamento de Escolas de Venda do…

Ler Mais

O traço firme do ilustrador Manuel Ribeiro de Pavia

Há edições notáveis onde registamos a mestria da escrita e o traço inesquecível do ilustrador que nos guia na imaginação. Um dos exemplos mais marcantes na literatura portuguesa das últimas décadas é Dinossauro Excelentíssimo de José Cardoso Pires com ilustrações de João Abel Manta.Contudo, a maior parte da vezes sobressai o escritor e esquecemos a…

Ler Mais

Mata da Rainha das “Minas de San Francisco” de Fernando Namora

Um roteiro nas minas de volfrâmio da Mata da Rainha, concelho de Fundão, que inspiraram Fernando Namora para o romance Minas de San Francisco. Há pouco mais de 75 anos, em plena II Guerra Mundial, Fernando Namora era médico em Monsanto, no concelho de Idanha-a-Nova, e testemunhou o alvoroço que se vivia na região transformada…

Ler Mais

Retalhos da vida de Fernando Namora

Fernando Namora queria ser arquiteto mas foi persuadido pela mãe a seguir Medicina.Da vocação de arquiteto encontramos o prazer da pintura. Uma faceta pouco conhecida e que pode ser descoberta na Casa-Museu, onde nasceu, em 2019, em Condeixa-a-Nova. Da carreira como escritor fica a observação clinica das relações sociais, da cultura, da luta pela sobrevivência…

Ler Mais

“Portugal” de Miguel Torga

Vou falar-lhes dum Reino Maravilhoso. Embora muitas pessoas digam que não, sempre houve e haverá reinos maravilhosos neste mundo. O que é preciso, para os ver, é que os olhos não percam a virgindade original diante da realidade e o coração, depois, não hesite. Ora, o que pretendo mostrar, meu e de todos os que…

Ler Mais

Bota tradicional do Ribatejo – a tradição do campo na cidade

Simão Monsanto há 60 anos que continua a dar a alma às botas tradicionais ribatejanas. São de pele de vitela, totalmente artesanais, baixas ou de cano alto. Estão muito associadas ao universo rural, mas já ultrapassaram fronteiras.No entanto, são cada vez menos os que as produzem de forma artesanal. Simão Monsanto tem a sapataria numa…

Ler Mais

Jaquetas e outro vestuário tradicional dos campinos

O traje de campino e o universo da Festa Brava continuam muito arreigados à região do Ribatejo. São poucas as peças de vestuário que ganharam novos consumidores. A jaqueta é uma das raras exceções. A Casa Sónia em Vila Franca de Xira é um pequeno universo repleto de objetos dedicados exclusivamente à Festa Brava, touros…

Ler Mais