O surpreendente património religioso de Atouguia (e do osso) da Baleia

Atouguia da Baleia oferece-nos um importante património religioso que, ao mesmo tempo, espelha as estruturas sociais dominantes e os movimentos culturais desde a formação da nossa nacionalidade. A imponência e a riqueza artística desse património está também associada a uma profunda alteração geomorfológica do concelho de Peniche. Atouguia da Baleia foi durante vários séculos um…

Ler Mais

O enorme e fantástico património religioso de Elvas

Elvas é uma cidade fortaleza, classificada como Património da Humanidade e, como durante alguns séculos a espada foi parceira da fé, encontramos igualmente um fabuloso património religioso. “São sete conventos, cinco capelas e 20 igrejas” quantifica Margarida Ribeiro, conhecedora do património de Elvas. Num breve passeio nas ruas do centro histórico percebemos rapidamente que muitos…

Ler Mais

Com as calorias do Viriato os romanos não venciam os lusitanos

O Viriato é um doce que rapidamente ganhou preponderância na doçaria tradicional de Viseu, em particular o da Confeitaria Amaral. Depois de se saborear percebe-se porquê. Foi a primeira vez que provei o famoso Viriato de Viseu. Enquanto esperava para falar com Nuno José via os tabuleiros a passar para o balcão. Cada tabuleiro contém…

Ler Mais

O saboroso e incomparável pastel de feijão do Patronato

O pastel de feijão do Patronato é uma das “relíquias” de Mangualde. Com um sabor inigualável o pastel tem ainda um papel fundamental no apoio a uma instituição de solidariedade social. A ida a Mangualde tem paragem obrigatória no Patronato. É o mesmo que ir a Roma e não ver o Papa. Aqui a igreja…

Ler Mais

Pão de Ló de Coz e do rei D. Carlos

O Pão de Ló de Coz, no concelho de Alcobaça, é de origem conventual, mas passou para segundo plano quando o rei D. Carlos adorou uma versão, alegadamente mal confecionada, e ficou conhecida como Pão de Ló de Alfeizerão. O de Coz está agora a ser reavivado. “Se o rei gosta, então que se faça…

Ler Mais

Queijinhos do Céu e da perdição

O Queijinho do Céu é um doce de ovos e amêndoa, tem o formato de um pequeno queijo de cor amarelada e está escondido num embrulho de papel branco rendilhado. “É como desvendar um mistério. Ao descobrir o queijinho está a descobrir um mistério. Esse mistério é comer o doce, saboreá-lo e vai ao céu…

Ler Mais

Café de S. Jorge: a única plantação na Europa é 100% natural e artesanal

O único café produzido na Europa é na ilha de S. Jorge e se quiser prová-lo tem de ir aos Açores. Provavelmente ao Café Nunes, na fajã dos Vimes, ou na casa de um produtor que o cultiva exclusivamente para consumo familiar. É uma produção muito reduzida. “De autossustentação, ter uma coisa diferente, o seu…

Ler Mais

Adoçar a boca e a gula com a Amêndoa Coberta de Moncorvo

A Amêndoa Coberta de Moncorvo foi eleita uma das Sete Maravilhas Doces de Portugal e é uma das marcas de Torre de Moncorvo. Exige boa matéria prima e o saber das “cobrideiras”. As amendoeiras decoram as encostas em toda a região e na Primavera, quando estão em flor, fazem competição com a monumental igreja de…

Ler Mais

Agustina Bessa-Luís: a estação de Santarém tem “dos melhores azulejos”

Na sua viagem literária pelas Estações da Vida, Agustina Bessa-Luís descreve os azulejos em algumas paragens de comboio que funcionam como postais ilustrados dessa região. Na estação de Santarém encontram-se “dos melhores azulejos (…) muito vivo, muito honrados de realismo, com as feiras de gado e a corrida dos campinos a reunir as reses.” Os…

Ler Mais

Agustina Bessa-Luís: a gare de S. Bento, no Porto, é “a mais bela” em Portugal

Agustina Bessa-Luís, parca em elogios, não teve qualquer dúvida em qualificar a estação de S. Bento no Porto como “a mais bela” em Portugal. Ainda nas palavras da autora de As Estações da Vida, a “Gare de São Bento causa uma impressão grandiosa como nenhuma outra em Portugal”.Os turistas quando visitam a cidade vão de…

Ler Mais

Pinhão e Caminha nas Estações da Vida de Agustina Bessa-Luís

As Estações da Vida são pequenos apeadeiros na nossa memória e no caso de Agustina Bessa-Luís constituem um roteiro “baseado em memórias de viagens de pequeno curso que, desde a infância, me transportam de um lugar ao outro”. Pinhão e Caminha são dois desses lugares. Pinhão é um dos lugares de referencia do Douro e…

Ler Mais

Covilhã: o berço dos cosmógrafos da circum-navegação

Faz 500 anos este sábado, 28 de Novembro, que as naus da primeira viagem de circum-navegação concluíram a travessia do oceano Atlântico para o Pacífico, revelando a comunicação marítima entre os dois continentes. Fernão de Magalhães comandava a nau Vitória e deu o nome de Pacífico ao oceano que avistava porque o mar estava calmo…

Ler Mais

Passear na ponte ferroviária de Mosteirinho e ao lado da locomotiva a vapor em Torredeita

Faz hoje, 25 de Novembro, 130 anos que foi inaugurada a Linha do Dão. Depois do encerramento foi aproveitada para Ecopista e estão presentes dois testemunhos dos caminhos de ferro: a ponte de Mosteirinho e a locomotiva a vapor em Torredeita. Impressiona a dimensão e a beleza da ponte metálica que, dizem, é da autoria…

Ler Mais

A estação de comboios de Barca d’Alva continua “socegada” porque está abandonada

Há pouco mais de um século o comboio parava em Barca d´Alva numa “estação muito socegada, muito varrida, com rosinhas trepando pelas paredes”. É assim que Eça de Queiroz descreve, pelos olhos de Jacinto de A Cidade e as Serras, a entrada em Portugal de comboio na Linha do Douro. Hoje o cenário é completamente…

Ler Mais

A estação da Barca d’Amieira – Envendos vizinha do Tejo

A linha da Beira Baixa namora o Tejo. Correm em paralelo dezenas de quilómetros e algumas estações ferroviárias têm em frente, na outra margem, um cais com o barqueiro a aguardar a chegada do comboio. Há estações da Linha da Beira Baixa onde vamos de barco apanhar o comboio. Parte do troço da linha ferroviária…

Ler Mais

As surpreendentes figuras graníticas do Castelo Velho

Um dos lugares favoritos da serra da Gardunha é Castelo Velho. Estamos a mais de mil metros de altitude e a natureza diverte-se a dar as mais variadas formas a rochas de granito que seduzem a nossa imaginação como a Crista do Galo ou a Cabeça do Soldado. A serra da Gardunha é dominada por…

Ler Mais

Dalberto Pombo um naturalista especial numa ilha única

Santa Maria é um caso especial nos Açores. Já foi ilha duas vezes e apresenta, por isso, particualridades únicas na história natural. Mas isso não explica tudo. É preciso muita vocação e prazer de descobrir para o fascínio que a ilha despertou em Dalberto Pombo. Foi um dos maiores entusiastas naturalistas portugueses no século XX.…

Ler Mais

As pedras parideiras reproduzem pedras filhas sem haver pedras pai

A aldeia de Castanheira, no concelho de Arouca, é muito pequena, os poucos habitantes vivem da agricultura, mas tem particularidades únicas. Está isolada no alto de uma encosta da serra da Freita, é vizinha da maior cascata em Portugal Continental, a Frecha da Mizarela e foi dona de um segredo difícil de deslindar: as pedras…

Ler Mais