A gruta do Escoural da natureza e de caçadores

A Gruta do Escoural é um dos refúgios da nossa história e um encanto pela beleza natural do calcário que se mostra robusto em algumas partes, noutros cantos os pedaços estão num equilíbrio periclitante e no tempo de chuva revela que é um abrigo com muitas fissuras. O espaço não é muito grande. A gruta terá cerca de 20 metros de profundidade mas os visitantes … Continue a ler A gruta do Escoural da natureza e de caçadores

O gracioso Cromeleque de Vale Maria do Meio

O Cromeleque de Vale Maria do Meio é um lugar onde podemos sorrir e ficar serenos com a história dos nossos antepassados. Um passado longínquo. Há 7 a 8 mil anos. Alguns dos 34 menires do cromeleque têm um aspeto gracioso, outros são mais pequenos e com formas distintas e na região de Évora até são conhecidos como pedras talhas devido à forma ovóide. O … Continue a ler O gracioso Cromeleque de Vale Maria do Meio

A porta da casa é no Aqueduto de Évora

O aqueduto de Évora está quase a fazer 500 anos e ainda transporta água quase até à cidade. É uma das obras monumentais da cidade e foi apropriado pelo casario, essencialmente num dos lugares simbólicos: na rua do Cano.O aqueduto da Água de Prata foi inaugurado em Março de 1537 e transportou água até à Praça do Geraldo ainda no século XX. Conforme refere o arquiteto … Continue a ler A porta da casa é no Aqueduto de Évora

Marvão a vila fortaleza

Marvão não tem uma fortaleza. O próprio local já é uma fortaleza! Está no topo de um monte com 860 metros de altitude e com encostas escarpadas. Rochas enormes em posição vertical e que foram muito mais eficazes que as construções defensivas.A fortaleza é em primeiro lugar uma obra da natureza. As enormes muralhas que cercam Marvão são um complemento defensivo para a população que … Continue a ler Marvão a vila fortaleza

Elvas “a chave do reino”

Elvas tem o maior sistema de defesa com baluartes do Mundo e, recorrendo a uma metáfora, podemos dizer que é uma cidade à prova de bala ou a tiro de canhão. Na ficção científica, seria “a base da Guerra das Estrelas”. Passo a citar que conhece bem a cidade, Margarida Ribeiro:  “Elvas é uma cidade quartel. Não é um quartel. É a cidade. Toda a … Continue a ler Elvas “a chave do reino”

Acenda-se a candeia de azeite que vai começar o espetáculo com os Bonecos de Santo Aleixo

Muito antes da caixa da televisão já havia a caixa dos bonecos de Santo Aleixo que entretinha muitas pessoas nas aldeias alentejanas. E tem muitas mais qualidades que a caixa de televisão. Tem música ao vivo, dança, cantares, diálogos musicados, sapateado e frenesim de bonecos, tem gente a falar com as marionetas e até tem cheiro. Os mais de 60 bonecos deslumbram assistências mesmo em … Continue a ler Acenda-se a candeia de azeite que vai começar o espetáculo com os Bonecos de Santo Aleixo

Capote alentejano – um dos ícones do Alentejo

O uso do capote está de novo na moda. Ultrapassa identidades regionai, ganhou urbanidade e passagem por ruas de capitais europeias. Até o Papa já tem um. É todo branco e foi-lhe oferecido este ano pelo presidente da Câmara de Monforte. O capote deixou o exclusivo dos montes alentejanos adquiriu também novo estatuto social. “Muitos compradores são da classe média/alta. O capote abriga do frio mas … Continue a ler Capote alentejano – um dos ícones do Alentejo

O Pego escondido das Pias

A praia fluvial do Pego das Pias é uma obra de arte da ribeira do Torgal. A erosão provocada pela água criou arcadas e espelhos de água num maciço rochoso. São piscinas naturais. Foi quando a ribeira tinha mais água, mais altura e mais força. Por outro lado, os redemoinhos de água com pedras esculpiram as rochas e formaram muitas concavidades que são vitais para … Continue a ler O Pego escondido das Pias

As chaminés são muito grandes comparadas com as casas

O azul de Santa Susana

Santa Susana tem uma dezena de ruas, está relativamente isolada no concelho de Alcácer do sal e situa-se num antigo monte alentejano. A herdade recebeu há cerca de um século vários trabalhadores agrícolas que viviam temporariamente em casas gémeas. Todas iguais. Alguns ficaram por aqui e o monte alargou a urbanização e ganhou novo estatuto. Também permaneceu a arquitetura rural alentejana que no caso de Santa … Continue a ler O azul de Santa Susana

Um Vale da Rosa com 10 milhões de cachos

As vinhas com uvas sem grainha são muito diferentes do que costumamos ver. Como são uvas de mesa há o propósito de salvaguardar o aspecto e a qualidade. As vinhas estão cobertas por plásticos e redes para proteger as uvas e prolongar o período de colheita. Na Herdade Vale da Rosa, em Ferreira do Alentejo, há ainda 60 caixas de ninhos de morcegos espalhadas pela … Continue a ler Um Vale da Rosa com 10 milhões de cachos

O Pulo do Lobo selvagem

O Pulo do Lobo continua selvagem depois de ter deixado de ser um segredo bem guardado. Hoje o ex-líbris do Parque Natural do Vale do Guadiana já entra nos roteiros turísticos mas continua agreste, arrepiante e indomável. A queda de água, as rochas, a força da natureza, o lugar isolado… tudo revela uma força selvagem e ao mesmo tempo de deslumbramento. A catarata de 16 … Continue a ler O Pulo do Lobo selvagem

As melhores bifanas eram da Casa Branca

A Casa Branca nos Estados Unidos é conhecida por ser a residência oficial do presidente. 
Em Portugal, a Casa Branca do Escoural é conhecida pela estação de comboios e, antigamente, pelas bifanas. Na verdade, hoje pouco resta do movimento dos comboios e as bifanas já desapareceram. A aldeia foi construída em volta do largo da estação ferroviária, que funcionava como o rossio. Tudo girava em … Continue a ler As melhores bifanas eram da Casa Branca