Praia Doce no Tejo

Próximo de Salvaterra de Magos o rio Tejo oferece uma amena praia fluvial. A Praia Doce é um recanto com uma ilha a proteger os banhistas e as aves que também tiram partido do refúgio natural. A Praia é Doce porque o Tejo se torna afável entre ilhas e uma ligeira corrente de água oferece…

Ler Mais

A fonte de Água Formosa

Água Formosa fica escondida num vale. Isolada pela natureza e pela emigração. No entanto, a beleza e o sossego está a seduzir novos moradores que dão vida às casas de xisto e a pequenas hortas. O acesso a Água Formosa, concelho de Vila de Rei, é por uma estrada muito inclinada e a placa diz…

Ler Mais

Ecomuseu do Zêzere – uma visão geral e calmante do rio

O Ecomuseu do Zêzere em Belmonte oferece-nos uma visão global de um dos mais bonitos rios portugueses. Uma perspetiva geral, histórica e calma porque o Ecomuseu do Zêzere retrata vários ecossistemas onde as aves estão sempre presentes e se fazem ouvir. O ambiente no espaço fechado e com pouca luz é dominado pelos sons das aves.…

Ler Mais

A judiaria da Covilhã e a herança que chega aos dias de hoje

A comunidade judaica foi uma lufada de ar fresco na cidade e ainda hoje se registam as marcas que deixaram em particular nos lanifícios. Na rua das Flores podemos ver pequenas casas de dois ou três pisos com a tradicional porta grande e porta pequena. Uma até tem uma janela manuelina e outras têm no…

Ler Mais

Visita guiada ao Museu do Pescador Montijo com a única mulher pescadora

O Montijo teve uma das maiores comunidades piscatórias desta margem do Tejo. Na cidade há o Bairro dos Pescadores e mesmo em frente da SCUPA, a Sociedade Cooperativa União Piscatória Aldegalense, podemos visitar o Museu do Pescador. Fica na antiga escola Conde Ferreira, tem cerca de uma centena de instrumentos das artes da pesca e…

Ler Mais

As azenhas da ribeira de Cortes na serra da Estrela

Eram muitas as azenhas junto à ribeira de Cortes e davam algum sustento às famílias que viviam isoladas na vertente sul da serra da Estrela.A mais de 1.500 metros de altitude, com poucos recursos naturais que eram apenas aproveitados por pastores que subiam com os rebanhos até às Penhas da Saúde. Ainda hoje a paisagem…

Ler Mais

A farinha das azenhas do Inferno, Purgatório e do Paraíso … na Torre

Na garganta do rio Ocreza, pouco depois da nascente, os romanos extraíram ouro e o metal precioso está na origem do nome do rio que aqui ainda tem o estatuto de ribeira. Mais recentemente, um do sustento de muitas famílias que viviam nesta zona da serra da Gardunha, entre Casal da Serra e a Torre,…

Ler Mais

Os moinhos de Souto Bom e a vista da serra do Caramulo

Os moinhos de Souto Bom encontram-se num dos pontos mais altos da serra do Caramulo. Muitos foram recuperados após terem sido destruídos por um incêndio como também um passadiço que nos leva próximo da ribeira da Pena.Na subida da serra, a caminho de Souto Bom, ficamos de imediato seduzidos pela paisagem que se perde num…

Ler Mais

Queijinhos do Céu e da perdição

O Queijinho do Céu é um doce de ovos e amêndoa, tem o formato de um pequeno queijo de cor amarelada e está escondido num embrulho de papel branco rendilhado. “É como desvendar um mistério. Ao descobrir o queijinho está a descobrir um mistério. Esse mistério é comer o doce, saboreá-lo e vai ao céu…

Ler Mais

Café de S. Jorge: a única plantação na Europa é 100% natural e artesanal

O único café produzido na Europa é na ilha de S. Jorge e se quiser prová-lo tem de ir aos Açores. Provavelmente ao Café Nunes, na fajã dos Vimes, ou na casa de um produtor que o cultiva exclusivamente para consumo familiar. É uma produção muito reduzida. “De autossustentação, ter uma coisa diferente, o seu…

Ler Mais

Adoçar a boca e a gula com a Amêndoa Coberta de Moncorvo

A Amêndoa Coberta de Moncorvo foi eleita uma das Sete Maravilhas Doces de Portugal e é uma das marcas de Torre de Moncorvo. Exige boa matéria prima e o saber das “cobrideiras”. As amendoeiras decoram as encostas em toda a região e na Primavera, quando estão em flor, fazem competição com a monumental igreja de…

Ler Mais

Covilhã: o berço dos cosmógrafos da circum-navegação

Faz 500 anos este sábado, 28 de Novembro, que as naus da primeira viagem de circum-navegação concluíram a travessia do oceano Atlântico para o Pacífico, revelando a comunicação marítima entre os dois continentes. Fernão de Magalhães comandava a nau Vitória e deu o nome de Pacífico ao oceano que avistava porque o mar estava calmo…

Ler Mais

Passear na ponte ferroviária de Mosteirinho e ao lado da locomotiva a vapor em Torredeita

Faz hoje, 25 de Novembro, 130 anos que foi inaugurada a Linha do Dão. Depois do encerramento foi aproveitada para Ecopista e estão presentes dois testemunhos dos caminhos de ferro: a ponte de Mosteirinho e a locomotiva a vapor em Torredeita. Impressiona a dimensão e a beleza da ponte metálica que, dizem, é da autoria…

Ler Mais

A estação de comboios de Barca d’Alva continua “socegada” porque está abandonada

Há pouco mais de um século o comboio parava em Barca d´Alva numa “estação muito socegada, muito varrida, com rosinhas trepando pelas paredes”. É assim que Eça de Queiroz descreve, pelos olhos de Jacinto de A Cidade e as Serras, a entrada em Portugal de comboio na Linha do Douro. Hoje o cenário é completamente…

Ler Mais

A estação da Barca d’Amieira – Envendos vizinha do Tejo

A linha da Beira Baixa namora o Tejo. Correm em paralelo dezenas de quilómetros e algumas estações ferroviárias têm em frente, na outra margem, um cais com o barqueiro a aguardar a chegada do comboio. Há estações da Linha da Beira Baixa onde vamos de barco apanhar o comboio. Parte do troço da linha ferroviária…

Ler Mais

As surpreendentes figuras graníticas do Castelo Velho

Um dos lugares favoritos da serra da Gardunha é Castelo Velho. Estamos a mais de mil metros de altitude e a natureza diverte-se a dar as mais variadas formas a rochas de granito que seduzem a nossa imaginação como a Crista do Galo ou a Cabeça do Soldado. A serra da Gardunha é dominada por…

Ler Mais

Dalberto Pombo um naturalista especial numa ilha única

Santa Maria é um caso especial nos Açores. Já foi ilha duas vezes e apresenta, por isso, particualridades únicas na história natural. Mas isso não explica tudo. É preciso muita vocação e prazer de descobrir para o fascínio que a ilha despertou em Dalberto Pombo. Foi um dos maiores entusiastas naturalistas portugueses no século XX.…

Ler Mais

É por estes dias que a cascata da Fórnea é mais previsível

Um anfiteatro natural, formado por um declive de 250 metros, tem no centro uma cascata imprevisível. É de aproveitar a época das chuvas, se não, tem ir à Gruta da Velha ver a nascente de água. Nas serras de Aires e Candeeiros temos algumas das mais espetaculares grutas em Portugal, encontramos paisagens áridas, muros reluzentes…

Ler Mais