A estação de comboios de Barca d’Alva continua “socegada” porque está abandonada

Há pouco mais de um século o comboio parava em Barca d´Alva numa “estação muito socegada, muito varrida, com rosinhas trepando pelas paredes”. É assim que Eça de Queiroz descreve, pelos olhos de Jacinto de A Cidade e as Serras, a entrada em Portugal de comboio na Linha do Douro. Hoje o cenário é completamente…

Ler Mais

A estação da Barca d’Amieira – Envendos vizinha do Tejo

A linha da Beira Baixa namora o Tejo. Correm em paralelo dezenas de quilómetros e algumas estações ferroviárias têm em frente, na outra margem, um cais com o barqueiro a aguardar a chegada do comboio. Há estações da Linha da Beira Baixa onde vamos de barco apanhar o comboio. Parte do troço da linha ferroviária…

Ler Mais

As surpreendentes figuras graníticas do Castelo Velho

Um dos lugares favoritos da serra da Gardunha é Castelo Velho. Estamos a mais de mil metros de altitude e a natureza diverte-se a dar as mais variadas formas a rochas de granito que seduzem a nossa imaginação como a Crista do Galo ou a Cabeça do Soldado. A serra da Gardunha é dominada por…

Ler Mais

Dalberto Pombo um naturalista especial numa ilha única

Santa Maria é um caso especial nos Açores. Já foi ilha duas vezes e apresenta, por isso, particualridades únicas na história natural. Mas isso não explica tudo. É preciso muita vocação e prazer de descobrir para o fascínio que a ilha despertou em Dalberto Pombo. Foi um dos maiores entusiastas naturalistas portugueses no século XX.…

Ler Mais

As pedras parideiras reproduzem pedras filhas sem haver pedras pai

A aldeia de Castanheira, no concelho de Arouca, é muito pequena, os poucos habitantes vivem da agricultura, mas tem particularidades únicas. Está isolada no alto de uma encosta da serra da Freita, é vizinha da maior cascata em Portugal Continental, a Frecha da Mizarela e foi dona de um segredo difícil de deslindar: as pedras…

Ler Mais

É por estes dias que a cascata da Fórnea é mais previsível

Um anfiteatro natural, formado por um declive de 250 metros, tem no centro uma cascata imprevisível. É de aproveitar a época das chuvas, se não, tem ir à Gruta da Velha ver a nascente de água. Nas serras de Aires e Candeeiros temos algumas das mais espetaculares grutas em Portugal, encontramos paisagens áridas, muros reluzentes…

Ler Mais

O complexo de Édipo de Numão

Numão é uma freguesia do concelho de Vila Nova de Foz Côa e tem um magnifico castelo com uma história trágica. Por várias vezes foi reconstruído e outras tantas sofreu forte destruição. Pela guerra dos homens devido à sua posição estratégica ou pela fúria da natureza como no terramoto de 1755. O castelo é oval…

Ler Mais

Algoso: o castelo do “reino maravilhoso”

O castelo de Algoso é a fortificação do nordeste transmontano. Não há outro igual e são poucas as semelhanças com outro castelos roqueiros. Altivo, forte, teimoso e abraçado a lendas, o castelo de Algoso é a fortaleza do “reino maravilhoso” de Miguel Torga. Saia de Mogadouro pela N219 na direcção de Vimioso. Percorridos cerca de…

Ler Mais

As Penas Róias do “Reino Maravilhoso”

O nome de Penas Róias desperta de imediato a curiosidade e quando se vê ao longe o castelo, no alto do monte rochoso, é maior o desejo de fazer um desvio e visitar esta aldeia do concelho de Mogadouro. Leocádia Maria Sarapicos há 48 anos foi para Penas Róias e ficou.  Ela e o marido…

Ler Mais

A clausura das monjas no faustoso mosteiro de Santa Maria de Arouca

Durante séculos foram as monjas que mandaram em Arouca e outras terras de concelhos vizinhos.  Ainda hoje o Mosteiro de Santa Maria de Arouca define a centralidade da vila. É um edifício em granito e enorme. “Data dos finais do século XVII até finais do século XVIII. O primeiro edifício é muito anterior, de 925…

Ler Mais

A igreja é o deslumbrante tesouro (que restou) do Mosteiro de Coz

O mosteiro de Coz, próximo de Alcobaça, revela-nos duas facetas intemporais da nossa civilização: o génio da criatividade artística e a destruição provocada pelo saque e vandalismo. “O temor a Deus” salvou a igreja, um fabuloso património. Do que resta do antigo mosteiro vemos uma parte do antigo dormitório das monjas em ruínas colado, a…

Ler Mais

Portugal dentro do Mosteiro de S. Vicente de Fora e no terraço um dos melhores miradouros de Lisboa

O Mosteiro S. Vicente de Fora é um dos edifícios mais emblemáticos de Lisboa. Em conjunto com a igreja marcam a nossa nacionalidade e, nos dias de hoje, além da beleza da arquitetura, tem um património fantástico. Até tem o tumulo de uma rainha de Inglaterra que pouco se destaca no panteão Real da Casa…

Ler Mais

Capela dos Ossos: “pelos vossos esperamos”

É um ambiente macabro. Estamos no interior de uma capela repleta de ossos cujo lema é: cá esperamos pelos teus. No entanto, muitos visitantes sentem-se fascinados pelo ambiente e até registam o momento em fotografias. Os tetos têm frescos, pinturas de passagens biblicas, em tons alegres, tal como a talha dourada de um pequeno altar,…

Ler Mais

É a cascata que dá vida à aldeia abandonada de Barbelote

Barbelote fica escondida na serra de Monchique, a poucos quilómetros do alto da Fóia. A aldeia com cerca de uma dezena de casas está abandonada. É acompanhada por uma ribeira que pouco depois se despenha numa enorme queda de água. Barbelote está numa encosta muito inclinada, escondida num vale profunda e envolvida por um ambiente…

Ler Mais

Póvoa Dão e do paraíso adormecido

Póvoa Dão é uma pérola que se esconde no meio do arvoredo numa encosta íngreme que vai beijar o Rio Dão. Tudo está adormecido e em silêncio. O rio que corre muito calmo debaixo da ponte onde os poucos carros que a atravessam também seguem lentamente. O curso de água já leva histórias registadas em…

Ler Mais

A festa que mantém viva a aldeia de Colcurinho

Colcurinho, na serra do Açor, está desabitada há 7 décadas, mas todos os anos, em meados de Janeiro, o povo regressa à aldeia. Repetem o ritual de pedirem a proteção de Santo Antão. É o padroeiro local e a capela é o único edificio que não está em ruinas. A capela remonta ao século XVI, …

Ler Mais

“O Brejo é um sítio mítico”

Brejo fica no meio da serra da Bando dos Santos. O povoado disperso tem mais de uma dezena de casas quase todas em ruínas. Eram ocupadas sazonalmente por gente de aldeias vizinhas, como por exemplo, do Castelo, no concelho de Mação. O Brejo ainda preserva uma das suas riquezas, a água.  “É uma fonte natural…

Ler Mais

O Vale dos Amores

O Vale dos Amores é um antigo povoado entre Meimão e Meimoa e foi abandonado há cerca de meio século. O isolamento protegeu o casario de xisto e ainda podemos percecionar o modo de vida dos habitantes, nomeadamente das bonitas raparigas que estão na origem do nome do lugar. O Vale dos Amores fica próximo…

Ler Mais