Viola beiroa e das curvas perfeitas

Tem o nome de viola beiroa porque os últimos registos e a sua revitalização têm lugar essencialmente nos concelhos de Castelo Branco e Idanha a Nova. Em Castelo Branco há a Orquestra da Viola Beiroa e Idanha tem uma oficina de música tradicional que pertence à Filarmónica Idanhense onde se ensina a tocar e a construir. Estão igualmente em exposição vários exemplares da viola Beiroa. … Continue a ler Viola beiroa e das curvas perfeitas

Castelo Branco – os jardins do Paço e do Povo

Um dos jardins portugueses que esteve sempre associado à imagem de uma cidade é o Jardim do Paço de Castelo Branco.Também é designado por jardim de S. João Baptista e tem inúmeras estátuas de reis, figuras religiosas e relacionadas com a natureza. É um dos ícones da cidade.As estátuas estão dispersas ou alinhada ao lado de longas escadarias. O jardim tem ainda painéis de azulejos, … Continue a ler Castelo Branco – os jardins do Paço e do Povo

Que boa vida era a de Martim Branco

Martim Branco é uma pequena aldeia que fica próximo de Almaceda, no concelho de Castelo Branco. Tem pouco mais de duas dezenas de habitantes.A construção tradicional das casas de xisto, concentra-se na Rua da Bica. São cerca de uma dezena de habitações e palheiros. As casas tradicionais são de xisto misturado com seixos e no interior as divisões são feitas com paredes de taipa, ripas … Continue a ler Que boa vida era a de Martim Branco

Sarzedas entre a via romana e o centro de BTT

Sarzedas tem numa extremo uma via romana. No outro lado destaca-se um centro de apoio BTT. Entre os a história e a contemporaneidade a aldeia de Sarzedas revela-se afável e com poucos habitantes. Sarzedas faz parte da rede das Aldeias de Xisto e fica num dos extremos do concelho de Castelo Branco. Algumas habitações foram caiadas de branco e os vestígios do xisto são poucos. … Continue a ler Sarzedas entre a via romana e o centro de BTT

Sou padrinho de uma coruja-das-torres

Há muitos animais selvagens que sofrem acidentes, são envenenados, ficam debilitados com a seca ou feridos nos incêndios. Este ano o número disparou com a conjugação destes factores. Você pode dar uma ajuda e apadrinhar o regresso de um deles à natureza com uma visita ao Tejo Internacional. Eu apadrinhei uma Coruja-das-torres (Tyto alba). Alguns dos animais selvagens feridos ou em situação débil são recolhidos e … Continue a ler Sou padrinho de uma coruja-das-torres