A chegada do Tejo vista do Miradouro de Malpica

É um dos primeiros miradouros que tem vista para o Tejo, ainda fazer de linha de fronteira com Espanha. O ambiente é profundamente natural, marcado por serras, vegetação densa e o rio que marca o contraste de cores na paisagem. O rio estabelece a fronteira, mas no plano paisagístico não é grande a diferença.O terreno…

Ler Mais

Baloiçar no Castelo Velho da serra da Gardunha

Estamos a mais de mil metros de altitude na serra da Gardunha. Rodeados de um anel de escarpas e rochedos e uma das aberturas é para o baloiço e a enorme vista para o planalto. A graciosidade do balouçar rompe com o ambiente rude e selvagem do Castelo Velho. Enquanto balouçamos a vista percorre Monsanto,…

Ler Mais

Danças tradicionais da Lousa: Virgens, Homens e das Tesouras

Uma das festas mais interessantes no concelho de Castelo Branco realiza-se na Lousa e destaca-se por um conjunto de danças de motivação religiosa. São a Dança das Virgens, a Dança dos Homens e a Dança das Tesouras. Remontam a 1640 quando o povo foi agradecer a Nossa Senhora dos Altos Céus ter correspondido à súplica…

Ler Mais

A Maria Faia de Malpica

José Afonso imortalizou Malpica do Tejo com quatro canções do cancioneiro local e uma das mais conhecidas é Maria Faia. A retribuição costuma ser feita com uma homenagem a Zeca Afonso no dia 1 de Maio. Alguns malpiqueiros sentem orgulho no eu cancioneiro local. José Afonso tinha passagens regulares por Malpica do Tejo, no concelho…

Ler Mais

A farinha das azenhas do Inferno, Purgatório e do Paraíso … na Torre

Na garganta do rio Ocreza, pouco depois da nascente, os romanos extraíram ouro e o metal precioso está na origem do nome do rio que aqui ainda tem o estatuto de ribeira. Mais recentemente, um do sustento de muitas famílias que viviam nesta zona da serra da Gardunha, entre Casal da Serra e a Torre,…

Ler Mais

As surpreendentes figuras graníticas do Castelo Velho

Um dos lugares favoritos da serra da Gardunha é Castelo Velho. Estamos a mais de mil metros de altitude e a natureza diverte-se a dar as mais variadas formas a rochas de granito que seduzem a nossa imaginação como a Crista do Galo ou a Cabeça do Soldado. A serra da Gardunha é dominada por…

Ler Mais

Viola beiroa e das curvas perfeitas

Tem o nome de viola beiroa porque os últimos registos e a sua revitalização têm lugar essencialmente nos concelhos de Castelo Branco e Idanha a Nova. Em Castelo Branco há a Orquestra da Viola Beiroa e Idanha tem uma oficina de música tradicional que pertence à Filarmónica Idanhense onde se ensina a tocar e a…

Ler Mais

Castelo Branco – os jardins do Paço e do Povo

Um dos jardins portugueses que esteve sempre associado à imagem de uma cidade é o Jardim do Paço de Castelo Branco.Também é designado por jardim de S. João Baptista e tem inúmeras estátuas de reis, figuras religiosas e relacionadas com a natureza. É um dos ícones da cidade.As estátuas estão dispersas ou alinhada ao lado…

Ler Mais

Que boa vida era a de Martim Branco

Martim Branco é uma pequena aldeia que fica próximo de Almaceda, no concelho de Castelo Branco. Tem pouco mais de duas dezenas de habitantes.A construção tradicional das casas de xisto, concentra-se na Rua da Bica. São cerca de uma dezena de habitações e palheiros. As casas tradicionais são de xisto misturado com seixos e no…

Ler Mais

Bordado de Castelo Branco com agulha telecomandada

Bordados tradicionais de Castelo Branco. A arte das bordadeiras.

Ler Mais

Sarzedas entre a via romana e o centro de BTT

Sarzedas tem numa extremo uma via romana. No outro lado destaca-se um centro de apoio BTT. Entre os a história e a contemporaneidade a aldeia de Sarzedas revela-se afável e com poucos habitantes. Sarzedas faz parte da rede das Aldeias de Xisto e fica num dos extremos do concelho de Castelo Branco. Algumas habitações foram…

Ler Mais

Já bateu à porta da vizinha de Cargaleiro?

Museu Manuel Cargaleiro em Castelo Branco. Pintura, escultura e exposição dos Amigos.

Ler Mais

Sou padrinho de uma coruja-das-torres

Há muitos animais selvagens que sofrem acidentes, são envenenados, ficam debilitados com a seca ou feridos nos incêndios. Este ano o número disparou com a conjugação destes factores. Você pode dar uma ajuda e apadrinhar o regresso de um deles à natureza com uma visita ao Tejo Internacional. Eu apadrinhei uma Coruja-das-torres (Tyto alba). Alguns dos…

Ler Mais