A ameixa de Elvas (e o sericaia)

Há um doce que entra na mesa de Natal e que, felizmente, podemos saborear quase todo o ano acompanhado de sericaia. É a ameixa de Elvas. A ameixa Rainha Cláudia em calda, seguindo uma receita conventual e que remonta ao século XVI. A ameixa tem o nome da mulher do rei francês Francisco I e chegou ao Alentejo proveniente de França. Em Elvas, na Fábrica-Museu … Continue a ler A ameixa de Elvas (e o sericaia)

Bairro Operário Vista Alegre

O bairro operário da Vista Alegre em Ílhavo vai fazer dois séculos e tem dezenas de casas habitadas por actuais e antigos trabalhadores. Preserva algumas instalações sociais e junto com o Museu, a Fábrica e a capela (que é Monumento Nacional) formam um excelente cenário para uma viagem nos últimos duzentos ano. Machado Matos, diretor do hotel que faz parte do complexo e um estudioso … Continue a ler Bairro Operário Vista Alegre

Começar de novo no New Hand Lab

Recriar, inovar, renascer. Esta é a vontade do projecto New Hand Lab que deu nova vida a uma fábrica histórica de lanifícios na Covilhã. A António Estrela – Júlio Afonso está localizada no centro histórico industrial da Covilhã, cujo eixo era a ribeira da Carpinteira que passa por debaixo do enorme edifício. No interior ouve-se a passagem da água por canais estreitos que antes eram utilizados … Continue a ler Começar de novo no New Hand Lab

Ecolã: a capa do pastor da serra da Estrela no Japão

A Ecolã é uma das fábricas mais antigas em Portugal. É a mais antiga unidade produtiva familiar certificada. Funciona em Manteigas há quase um século, desde 1925 e sempre propriedade da mesma família. O fundador foi João Claro e neste momento vai na terceira geração. A fábrica tem visitas guiadas, é uma das sobreviventes da industria têxtil nesta região da serra da Estrela que tem um produto … Continue a ler Ecolã: a capa do pastor da serra da Estrela no Japão

Burel Factory: reinventar as cores e a utilização do burel

São vários os protagonistas que contribuíram para o rejuvenescimento da industria têxtil na serra da Estrela, nomeadamente com a modernização do burel. É um tecido 100% lã e faz parte do retrato etnográfico, da capa que protege o pastor do frio. Um dos protagonistas dessa revolução foi uma fábrica de Manteigas, a Burel Factory. Nas palavras da tecelã Dina Almeida “o que nós fizemos foi … Continue a ler Burel Factory: reinventar as cores e a utilização do burel

Roteiro industrial da CUF no Barreiro

O maior complexo industrial em Portugal e um dos maiores da Europa ainda tem testemunhos vivos no bairro operário que fica próximo das torres das fábricas. A primeira unidade industrial foi inaugurada em 1908 e transformava óleo de bagaço de azeite em sabões. No ano seguinte a Companhia de União fabril, CUF, começou a produzir ácido sulfúrico. Um crescimento permanente que em medos do século … Continue a ler Roteiro industrial da CUF no Barreiro

Complexo de Ílhavo “tão útil para a saúde quão para a Vista Alegre”

O Complexo da Vista Alegre em Ílhavo é um dos mais interessantes patrimónios industriais existentes em Portugal e acabou de ser distinguido com uma medalha de mérito turístico. Está também associado a uma das marcas que está presente em muitas casas portuguesas: a Vista Alegre. O complexo de Ílhavo tem ainda a particularidade da componente museológica partilhar o espaço com a fábrica e o bairro … Continue a ler Complexo de Ílhavo “tão útil para a saúde quão para a Vista Alegre”

O gelado da Lousã antes da era do frigorífico

Era possível comer um gelado em Lisboa antes da invenção do frigorífico. Uma das possibilidades era através do trabalho dos neveiros, que faziam gelo em sete poços no alto da serra da Lousã, no lugar de Santo António da Neve. A neve e o gelo eram colocados em poços profundos de xisto. Depois a neve era calcada e formava-se num enorme bloco de gelo. O … Continue a ler O gelado da Lousã antes da era do frigorífico