A picagem das armas do conde de Atouguia

O 11º e último Conde de Atouguia foi supliciado em Lisboa em  13 de Janeiro de 1759. Estava acusado de cumplicidade na tentativa de homicídio do rei D. José. O “azar dos Távoras” de Jerónimo de Ataíde é que era casado com Mariana Bernarda de Távora, filha dos marqueses de Távora, uma linhagem que foi praticamente extinta por vontade do rei e ação do Marquê … Continue a ler A picagem das armas do conde de Atouguia

Igreja da Memória do tiro ao rei

A igreja da Memória tem vários nomes. Também é designada por de Nossa Senhora do Livramento ou de S. José. Todas estas designações remetem para o motivo porque foi construída. Foi neste local que o rei D. José sofreu um atentado em 1758. Três anos depois do tremor de terra de 1755. Na altura, a família real vivia na Ajuda e o rei estaria a … Continue a ler Igreja da Memória do tiro ao rei

A “Torre de Pisa” na Igreja de Foz Côa

Com algum carinho dizem que o interior da igreja Matriz de Vila Nova de Foz Côa os pilares têm um difícil equilíbrio como a torre de Pisa. De fato, estranha-se como as altas colunas de granito conseguem manter o teto do templo devido à grande inclinação. Colocados numa das filas das colunas reparamos bem como é grande o desvio! Talvez só com a ajuda divina … Continue a ler A “Torre de Pisa” na Igreja de Foz Côa

A monumentalidade da monumental Sé da Guarda

Tudo o que diga respeito à Sé Catedral da Guarda é sempre associado a monumentalidade. Da dimensão do edifício, da afirmação do poder, da fé, da arte, da Igreja que teve aqui uma das maiores dioceses. Também do século e meio que levou a construir. A primeira pedra foi em 1390 e foi concluída em 1540. O edifício é esmagador na principal praça do centro … Continue a ler A monumentalidade da monumental Sé da Guarda

Concatedral de Miranda do Douro

A Concatedral de Miranda do Douro é um edifício enorme tendo em conta o centro histórico da cidade. A robustez e a frieza da pedra dão-lhe um ar rude e sóbrio que é apenas quebrado pela decoração no interior. É uma igreja salão com as três naves praticamente com a mesma altura e está repleto de trabalhos em talha dourada e figuras em altares. Uma … Continue a ler Concatedral de Miranda do Douro

Competição para Catedral: a candidata nº 2, Torre de Moncorvo

Cheguei ao final da tarde de um dia solarengo a Torre de Moncorvo. Ainda estava na enorme subida da serra e fiquei logo impressionado com a beleza da igreja Matriz ou da Nossa Senhora da Assunção. Um edifício que se destaca claramente no meio do casario pelo seu volume e pelo trabalho em pedra nas paredes e nos pórticos. Destacam-se de imediato as gárgulas que … Continue a ler Competição para Catedral: a candidata nº 2, Torre de Moncorvo

Camões Tours

Centenas de turistas entram todos os dias num dos postais ilustrados de Lisboa e que exalta a epopeia dos Descobrimentos. Logo na entrada da Igreja de Santa Maria de Belém estão dois túmulos, um em cada lado da coxia central, que são símbolos maiores de um dos períodos áureos de Portugal. Camões e Vasco da Gama foram trasladados para aqui em 1880. No caso do poeta … Continue a ler Camões Tours

Camões em Lisboa: da tortura no Tronco ao enigma de Sant’Ana

Três lugares de Lisboa marcam a vida de Camões e constituem histórias incertas e interessantes. Comecemos pelo Rossio, por uma vulgar briga para a época que meteu espadas e alguns homens que queriam mostrar a sua valentia. Foi em 16 de Junho de 1552 e Camões, que tinha fama de quezilento, também se envolveu e atingiu um dos participantes nas chamadas “gentilezas”. Pagou caro. Foi … Continue a ler Camões em Lisboa: da tortura no Tronco ao enigma de Sant’Ana

O retrato da apaixonada de Camões

Violante, uma das paixões de Camões, era loura e o seu retrato está num quadro na capela da Santa Casa da Misericórdia de Algodres. Violante Andrade era uma falsa loura como na altura era moda na corte. Segundo a interpretação de José Hermano Saraiva, podemos conhecer a ama e a amada de Camões numa pintura que hoje se encontra ao lado do altar-mor da capela … Continue a ler O retrato da apaixonada de Camões

«Tudo como dantes, quartel-general em Abrantes»

O castelo de Abrantes é uma das maiores fortificações da linha defensiva do Tejo do tempo da Reconquista. Já foi quase tudo. Castelo medieval, passou a fortaleza, foi quartel militar, presídio e agora uma das funções é servir como miradouro.Na opinião de Etelvino Martins, nos dias não muito quentes os visitantes “é entrar, ver e sair. No Verão é muito diferente, é também um espaço de … Continue a ler «Tudo como dantes, quartel-general em Abrantes»

O Montinho romano das Laranjeiras

Os romanos tinham bom gosto. Construíram uma Villa mesmo ao lado do rio Guadiana com uma bela vista e num sitio agradável para viver. Ainda hoje quando se visita a Villa Romana do Montinho das Laranjeiras temos essa sensação. Uma ligeira encosta junto ao rio que aqui se manifesta sereno e imponente devido à extensão do seu percurso que é visível. No presente tem muitas embarcações … Continue a ler O Montinho romano das Laranjeiras

A igreja mudéjar de Castro de Avelãs

A Igreja Mosteiro de Castro de Avelãs é muito bonita e é única em Portugal. Tem também uma história singular que remonta ao século XII quando da construção de um mosteiro beneditino. A igreja fica no concelho de Bragança, na freguesia de Castro Avelãs e destaca-se por três estruturas arredondadas, construídas em tijolo. São duas capelas que ladeiam a antiga capela mor da monumental igreja … Continue a ler A igreja mudéjar de Castro de Avelãs

As igrejas da Junta de Colonização Interna

Na zona de Pegões estão algumas das mais bonitas igrejas portuguesas de arquitectura moderna. Uma delas surpreende o nosso olhar por ser bonita e ter uma arquitectura inovadora, mais ainda se tivermos em conta a época em que foi construída. É a Igreja de Santo Isidro de Pegões, foi inaugurada em 1957 e é da autoria do arquitecto Eugénio Correia. O exterior tem linhas e … Continue a ler As igrejas da Junta de Colonização Interna

A lenda de Ferreira do Alentejo foi até à Índia

Ferreira do Alentejo tem um património muito rico em arte sacra e se acreditarmos na voz popular até tem uma das santas dos Descobrimentos. É a imagem de Nossa Senhora da Conceição. É do século XVI e sabe-se que um fidalgo de Ferreira do Alentejo a ofereceu a Vasco da Gama. Até aqui parece não haver grandes dúvidas, muito mais incerto é que tenha participado … Continue a ler A lenda de Ferreira do Alentejo foi até à Índia

A bonita e precursora igreja das Águas

Águas é uma pequena aldeia do concelho de Penamacor e o seu nome tem origem nas termas da Fonte Santa. O espaço termal fica a meio quilómetro da povoação e, conforme ficou registado no século XVII, a nascente é de um olho de água com sabor a enxofre. As termas são recomendadas para problemas respiratórios. A principal atividade de Águas é a agricultura mas a … Continue a ler A bonita e precursora igreja das Águas

Santana do Campo tem ótimos anfitriões

Santana do Campo é uma aldeia da freguesia de Arraiolos e tem a particularidade de ter uma igreja que reutiliza pilares de um templo romano. Os pilares de granito são bem visíveis e estão integrados na zona do altar da igreja que terá sido construído no século XV. No pórtico está inscrita a data de 1715 que deve assinalar uma remodelação. O templo romano está … Continue a ler Santana do Campo tem ótimos anfitriões

O Sr. Honorato da Meimoa

Os da Meimoa dizem que a terra deles é a Princesa da Cova da Beira. Talvez tenham razão para isso. Protegida pela Serra da Malcata e com terrenos férteis, não admira que o local tenha sido habitado por várias civilizações e que o legado cultural seja tema de investigação de várias pessoas daqui, como são exemplo, Mário Bento, que tem um museu, e Honorato Neves, … Continue a ler O Sr. Honorato da Meimoa