Etiqueta: tejo

O mercado global de alimentos em Sarilhos Grandes

Um dos “sarilhos grandes” aparentemente está resolvido. Tem a ver com o modo de vida de comunidades junto ao Tejo e de que forma participaram e foram influenciadas pelas trocas marítimas. A análise incidiu numa necrópole de origem medieval que foi descoberta em frente da igreja de S. Jorge em Sarilhos Grandes, no concelho de

Continue a ler

A praia do Alamal vigiada por um castelo

O Alamal é uma praia natural com águas calmas do Tejo e sempre vigiada pelo castelo de Belver. Faz inveja a quem passa de comboio na outra margem do rio. É um lugar isolado no fundo de uma encosta íngreme e utiliza parte da estrutura de uma antiga quinta. Carlos Marques conhece bem a Praia do

Continue a ler

A história do estuário do Tejo no estaleiro naval de Sarilhos Pequenos

  O percurso na zona ribeirinha de Sarilhos Pequenos ao final da tarde é num ambiente romântico. A água do Tejo, pequenos barcos ancorados, dois homens a apanhar amêijoa e no horizonte o lusco-fusco cintila com as luzes das casas. No cais de acostagem estão algumas embarcações tradicionais do Tejo e vale a pena entrar

Continue a ler

Amieira do Tejo: duas capelas, um castelo e um enigma

Um castelo num declive e uma capela com uma imagem de um órgão sexual não é comum mas é o que encontramos na Amieira do Tejo. Para quase tudo há uma explicação mas para a reprodução do órgão sexual na abóbada da Capela de São João Batista ainda não foi encontrada. A melhor justificação poderá

Continue a ler

Sou padrinho de uma coruja-das-torres

Há muitos animais selvagens que sofrem acidentes, são envenenados, ficam debilitados com a seca ou feridos nos incêndios. Este ano o número disparou com a conjugação destes factores. Você pode dar uma ajuda e apadrinhar o regresso de um deles à natureza com uma visita ao Tejo Internacional. Eu apadrinhei uma Coruja-das-torres (Tyto alba). Alguns dos

Continue a ler

Conhos, que Conhal!

É uma paisagem estranha. Singular. Concentração de seixos em montes, nas encostas da serra, no meio de um olival… Por todo o lado pedras arredondadas, brancas, rosadas, cinzentas e muitas delas com mais de um palmo de comprimento. Alguns dos montes são enormes, com dois a três metros de altura e uma extensão de dezenas

Continue a ler

Escaroupim: das cheias nasceu um paraíso de aves

  O fascínio começa logo à chegada. No final da rua principal, em frente ao largo, deparamos com uma ilha cheia de aves. Ao final da tarde, o rio Tejo, muito calmo, abraça a ilha verde com inúmeras aves brancas e pretas a regressar ao torreão. São várias as espécies.  A que tem maior número

Continue a ler

Castelo de Almourol – um dos ícones do Tejo

Um lugar belo e misterioso. Para alguns, talvez também seja um símbolo romântico e isso deve-se, em parte, a uma adulteração da estrutura feita no século XIX, que introduziu elementos decorativos. A origem do castelo é desconhecida, talvez um castro pré-histórico e foi ocupado por vários povos. O castelo foi reconstruído no século XII, em

Continue a ler