Castelo é Bom e podia estar melhor

Sem comentários

Este slideshow necessita de JavaScript.

Passaram as guerras e ficou a paz. O sossego, a calma, um ambiente rural é o que se encontra agora no topo da encosta. As muralhas protegeram os habitantes dos invasores. Hoje protegem o património de Castelo Bom.

De longe não se tem a ideia de um lugar muito calmo e desertificado. Ao contrário, temos a visão de um lugar tenso, com as muralhas a fazerem um enorme esforço para se adaptarem às irregularidades do cume granítico e com uma encosta muito íngreme e com muitas pedras.

Sobressai a torre da igreja envolvida pelo casario onde se imagina uma vida mais intensa.

Caminho nas muralhas
Caminho nas muralhas

Na praça principal sente-se o vazio que é preenchido fugazmente por uma voz que se ouve ao longe.
Visitei Castelo Bom ao final de uma manhã solarenga encontrei apenas duas. Ao todo a freguesia tem apenas 216 habitantes.

Castelo Bom visto ao longe
Castelo Bom visto ao longe

No passado medieval foi uma das fortalezas perante Leão e Castela, na chamada Riba -Côa e que evolve mais oito castelos. Curiosamente o castelo foi construído pelo reino de Leão e ó passou definitivamente para o reino de Portugal com o tratado de Alcanizes em 1297. O castelo está classificado como Monumento Nacional.

Capela de S. Martinho
Capela de S. Martinho

A subida da encosta para o castelo é promissora. A meio deparamos com a Capela de S. Martinho e uma sepultura antropomórfica. Depois encontramos a muralha alta e após uma esquina surge a porta do castelo.

Entrada para o interior das muralhas
Entrada para o interior das muralhas

Entramos de seguida num universo um pouco estranho.
Na arcada de pedra, protegida da chuva e do sol, está um santo num nicho azul e iluminado por um candeeiro.

Alto das muralhas
Alto das muralhas

Por outro lado, a muralha e a entrada de pedra perspectivava uma grande construção defensiva mas já pouco existe. A porta dava acesso à torre de menagem que já desapareceu. O próprio castelo foi parcialmente destruído nas invasões francesas em 1810 e a pedra foi reutilizada na construção das casas.

Casa tradicional
Casa tradicional

Muitas delas ainda mantêm a traça antiga, são habitações térreas em ruas de pedra estreitas e sinuosas.
Algumas ruas estão coloridas com flores e a intensidade das cores aumenta consoante nos aproximamos do centro da aldeia.

Praça do pelourinho
Praça do pelourinho

Esta é talvez a área mais interessante. A igreja de Nossa Senhora da Assunção, parte do que resta do pelourinho, a Casa do Fidalgo e a antiga Casa da Câmara são algumas das construções recuperadas com valor histórico e arquitectónico.

Janela manuelina
Janela manuelina

Ao lado está uma casa antiga, com uma bonita janela manuelina mas que aguarda que alguém a restaure.

Vista para a A25
Vista para a A25

Numa das saídas do largo há uma rua estreita e pelo meio a vista dá para a A25 a subir a montanha e a caminho de Espanha.
A importância estratégica de Castelo Bom pertence mesmo ao passado. Pelo que se conta aqui nem força teve para se manter na proposta de classificação de Aldeia Histórica de Portugal. O ponto mais positivo é que nos últimos anos tem havido uma aposta na preservação do património de forma a recuperar a oportunidade que se perdeu com a exclusão das Aldeias Históricas.

Castelo é Bom e podia estar melhor faz parte do podcast semanal da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, Castelo é Bom e podia estar melhor, pode ouvir aqui.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s