Autor: whotrips

O surpreendente Museu da Tapeçaria de Portalegre

Para quem gosta de arte contemporânea é imperdoável desconhecer o Museu da Tapeçaria de Portalegre.  Como é igualmente injusto o Museu não ter maior relevo a nível nacional porque tem obras magnificas de alguns dos mais reputados pintores nacionais e estrangeiros. Até Maio do próximo ano estão expostas tapeçarias de Almada Negreiros, Vieira da Silva,

Continue a ler

Um Gavião de moinhos

Vamos andar por caminhos no concelho do Gavião que nos levam a descobrir moinhos de água, história de gentes locais e também de figuras históricas nacionais. O primeiro percurso é na freguesia de Margem. É a Rota dos Moinhos da Ribeira de Margem que nos leva à foz da ribeira onde existe um núcleo de

Continue a ler

O engenho e a perícia no Moinho de Maré da Mourisca

O Moinho de Maré da Mourisca está inserido na Reserva Natural do Estuário do Sado e é o único que foi restaurado e que retrata o engenho e a perícia para se aproveitar a força da água do rio. Existiam quatro moinhos no estuário do Sado. Este foi o único a ser recuperado e que é possível

Continue a ler

O ícone da Graciosa

Os moinhos da Graciosa destacam-se entre o verde da ilha açoriana. A forma e a cor vermelha fazem destes moinhos um ícone. A cúpula vermelha que termina em bico é o elemento que mais se destaca. É também o que mais facilmente determina a sua origem europeia. Dizem que o vermelho é a cor original

Continue a ler

O inventor dos moinhos de S. Jorge

Na ilha de S. Jorge há vários tipos de moinhos de vento e de água. Nas encostas à beira das estradas é frequente encontrar os de água. Um dos enquadramentos mais interessantes é na estrada para a Fajã dos Vimes. Distinguem-se também os moinhos movidos a vento que têm uma forma triangular e com rodas.

Continue a ler

O xisto amarelo e genuíno de Gondramaz

Gondramaz é uma pequena aldeia de xisto a meio de encosta da serra da Lousã. Foi toda renovada e está rodeada de árvores. Encanta os visitantes devido à sua simplicidade. Na verdade é uma rua rodeada de casas pequenas que desce a serra e por vezes se desdobra em pequenas ruelas. O caminho termina com um

Continue a ler

Cerdeira e a a arte de renascer uma aldeia

Cerdeira tem uma história recente que já foi argumento para um filme e que agora pode ter um final feliz: a arte de ressuscitar uma aldeia. A história resume-se às zangas triviais entre vizinhos e que neste caso levou a um homicídio. Um homem morreu o outro foi preso e a aldeia ficou uma década

Continue a ler

Candal para namorar ou passar o tempo

  Candal impressiona logo à primeira vista. A forma como as casas estão integradas na serra, a sua disposição e os materiais de xisto e madeira fazem um retrato que se torna ainda mais interessante em dias de nevoeiro. A aldeia é um anfiteatro de casas que sobe uma encosta íngreme até ao miradouro. Daqui podemos

Continue a ler

Casal Novo em xisto velho e Chiqueiro com pastor

Casal Novo e Chiqueiro são duas pequenas aldeias de xisto da serra da Lousã. Estão relativamente próximas no alto de uma encosta e têm ainda em comum outras características que as distinguem das restantes. Nas palavras do presidente da Câmara da Lousã, Luis Antunes, enquanto Talasnal, Cerdeira e Candal têm uma forte componente turística, Casal Novo e

Continue a ler

A fama e o merecido proveito do Talasnal

Antes de conhecer Talasnal tem primeiro de o ver no contexto da serra. Há um miradouro na estrada que quebra a vegetação luxuriante só para nos oferecer uma visão de conjunto de uma das aldeias de xisto com mais sucesso. Nas palavras de Luis Antunes, Presidente da Câmara da Lousã, o Talasnal apresenta uma grande

Continue a ler