Museu Berardo Estremoz: provavelmente o maior museu de azulejos em todo o mundo

O Museu Berardo Estremoz é um espaço fantástico de histórias, técnica, beleza e reflexo dos gostos de várias civilizações nos últimos oito séculos. Histórias contadas com ironia ou a fé expressa na iconografia religiosa. Apercebemo-nos também da técnica, do design e dos diversos modos de produção que vão da antiga Pérsia a artistas e arquitetos…

Ler Mais

O inédito e surpreendente museu navio hospital Gil Eannes

Faz esta semana 25 anos que o navio Gil Eannes regressou a Viana do Castelo para ser transformado num magnífico museu que ilustra a sua função de navio hospital junto da frota bacalhoeira. A data é assinalada com a inauguração de uma exposição e  a apresentação do “Álbum de Navios da Pesca do Bacalhau”. O…

Ler Mais

Moinho do Papel em Leiria “aqui se fabricou o primeiro papel português”

O Moinho do Papel em Leiria foi pioneiro em Portugal na produção de papel. A matéria prima eram trapos. O moinho tem mais de 600 anos e a estrutura foi reabilitada recentemente por Siza Vieira. O enquadramento natural é também muito bonito. São vários os motivos que justificam uma visita ao Moinho do Papel em Leiria.…

Ler Mais

O Mondego no início é um Mondeguinho

O maior rio português que nasce em Portugal começa com um ligeiro fio de água. Mais parece uma fonte e em algumas épocas do ano o fio de água é intermitente. Ao lugar, na serra da Estrela, percebe-se porque deram o nome de “Mondeguinho”. O Mondeguinho, a 1425 metros de altitude, na serra da Estrela,…

Ler Mais

Os Olhos de Água que observam a nascente do rio Alviela

A nascente do rio Alviela, no concelho de Alcanena, é uma surpresa da Natureza para descobrir, no verão para refrescar numa praia fluvial, e até podemos visitar um Centro de Ciência Viva. Um fio de água surge por entre um vale estreito, profundo, coberto por vegetação e escarpas de rocha calcária. A maior parte do…

Ler Mais

A nascente imprevisível do rio Nabão

O rio Nabão nasce um pouco antes de Ansião numa zona calcária e, por isso, é muito imprevisível. “Dá nas vistas” quando chove muito. Em muitos outros dias corre discretamente pela zona cársica. O Nabão é um rio de extremos. Um pouco depois da nascente podemos observar que “quando é na altura das chuvas, por…

Ler Mais

Tem alguma camélia com o nome da sua família? Esta é a altura de vermos a floração

Estamos na época do ano em que as camélias florescem e de nos deslumbrarem com uma grande variedade de cores. Há pouco mais de um século era chique ter o nome associado a uma espécie de camélia.  No Jardim das Camélias, no Parque da Pena, em Sintra, encontramos uma enorme coleção. Em 2014 foi distinguido…

Ler Mais

Antiga cadeia de Lagos é um espaço de liberdade criativa

De uma prisão se fez liberdade. Até a solitária da antiga cadeia de Lagos é espaço para criatividade. Cada uma das 15 celas, distribuídas por dois pisos, foi transformada num atelier e a penumbra ganhou vida com experiências artísticas. Esta sexta feira e no sábado decorre o LAC Dia Aberto, uma boa oportunidade para descobrir…

Ler Mais

Aprender música nas celas de uma antiga prisão em Arganil

O ambiente que impunha a solidão dos presos, nas antigas instalações da GNR de Arganil, ajuda agora os jovens a concentrarem-se na aprendizagem de música. As celas são espaços pequenos. As grades de ferro continuam nas janelas e as paredes estão forradas com cortiça para ajudar na acústica de quem está a aprender a tocar…

Ler Mais

Torres Vedras: antigo matadouro é centro de artes e criatividade

O Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras é uma boa metáfora de como se transforma a morte em vida.Como um antigo matadouro, concebido no final do século XIX, se transformou em espaço de criatividade e até de manifestação de alegria com uma exposição permanente dedicada ao carnaval. O Centro de Artes e Criatividade…

Ler Mais

Évora: matadouro centenário que Pó de Vir a Ser

O “matadouro passou a criadouro”. A expressão é de Mariana Mata Passos, dirigente da associação Pó de Vir a Ser, e espelha o resultado da transformação de um matadouro centenário em Évora num espaço de criação. A mudança foi em 1986 quando o conjunto de edifícios estava devoluto. O Matadouro é de finais do século…

Ler Mais

Braga: a confecionar Frigideiras desde 1796

A frigideira é um pastel de massa folhada, redondo, com recheio de carne picada. A cobertura, estaladiça porque ligeiramente tostada, esconde uma receita típica da cidade de Braga e cuja origem é atribuída à Frigideiras do Cantinho. A Frigideiras do Cantinho  foi fundada em 1796. Isaura Rocha, agora proprietária, trabalhou na casa durante 70 anos…

Ler Mais

“Quem come um folhado de Loulé fica feliz para o resto da semana”

A frase do título é de um cliente habitual dos folhados de Loulé. Quando estávamos “embriagados” pelo aroma do doce acabado de fazer. O creme de ovos a derreter também derretia o nosso apetite. O folhado de Loulé deve ser comido morno, por isso, tem hora marcada. A tabuleta colocada na rua indica que no…

Ler Mais

As tradicionais e saborosas queijadas de Serpa

As queijadas fazem parte da doçaria tradicional alentejana, em especial de Serpa. O sabor das queijadas é suave como também o tom da cor amarela que cativa o nosso olhar.  Há várias formas de confecionar e é possível encontrar quem faça de modo tradicional. Maria Guerreiro, que tem uma loja de produtos regionais, a Casa…

Ler Mais

Gamelinha de Góis – um dos doces da Nacional2

A Gamelinha de Góis tem um recheio saboroso, não é muito doce e a cor amarela cativa de imediato o nosso olhar. Tem a forma de uma gamela e está associada a costumes e tradições locais. Diz Cassiana Pinheiro que o “sabor é parecido com o de uma queijada. Tem a parte de fora um…

Ler Mais

Farinha Torrada e calórica de Sesimbra

A farinha torrada é um doce típico de Sesimbra. É mais adequado para gulosos e para quem precisa de calorias. Já percorre mundo. A cor castanha do chocolate, a textura rija e a durabilidade transformam a farinha torrada numa barra energética (tem a forma de um quadrado) cuja origem deve remontar ao final do século…

Ler Mais

Uma “bomba” de Palha de Abrantes

É palha, mas não são apenas os burros que gostam. Todos gostam, desde que sejam gulosos. A receita é de origem conventual, tem cerca de 500 anos, e o doce é irresistível. Daniel António é há cerca de 60 anos o proprietário da Confeitaria Palha de Abrantes, situada no centro histórico. “É a mais antiga em…

Ler Mais

A gulodice suprema: Dom Rodrigo

A escolha é para gulosos. Muito gulosos. Os Dom Rodrigo são uma perdição. Ovos e amêndoa são o sabor dominante e junta-se a cor e o brilho que os tornam irresistíveis. A Pastelaria Gardy, em Faro, é uma das que tem maior reputação na confecção do doce. Os Dom Rodrigo são de origem conventual, fazem…

Ler Mais