Vide está no melhor de dois mundos

Vide é um breve ponto de passagem entre as serras do Açor e da Estrela e faz também a ligação entre os vales e alguns dos lugares mais altos de Portugal. Conjuga ainda a natureza do xisto com a montanha de granito. Está no melhor de dois mundos. O elo de ligação é uma bonita ponte românica, com um arco perfeito, que dá passagem à … Continue a ler Vide está no melhor de dois mundos

Torre da Paz de Benfeita dá hoje 1620 badaladas – II Grande Guerra terminou há 75 anos

O fim da II Guerra Mundial é todos os anos evocado em Benfeita, uma aldeia do concelho de Arganil. Foram 1620  os dias da Segunda Grande Guerra e são também 1620 as badaladas que são tocadas um pouco antes das 15h na Torre da Paz, uma estrutura de xisto que se destaca no meio da encosta da serra do Açor e que foi construída para … Continue a ler Torre da Paz de Benfeita dá hoje 1620 badaladas – II Grande Guerra terminou há 75 anos

Chãs d’Égua e de gravuras rupestres

Uma caminhada na Serra do Açor com vista para gravuras com quase cinco mil anos é a proposta do Centro Interpretativo de Arte Rupestre em Chãs d’Égua, próximo do Piódão. Há ainda um vasto património para pesquisar na serra e que abrange vários municípios. Dos trabalhos já realizados descobriu-se uma grande concentração de gravuras na zona de Chãs d’Égua. Ao todo estão identificadas cerca de … Continue a ler Chãs d’Égua e de gravuras rupestres

Fontão de beleza natural

Um roteiro de nostalgia. Uma visita a uma aldeia sem residentes permanentes. Fontão tem cerca de 25 casas, quase todas em xisto, está isolada num vale profundo a 5 km da estrada principal e a 8 km de Loriga, no concelho de Seia. Nostalgia também para quem aqui viveu e só em poucos dias durante o ano retoma o ambiente dos tempos de criança. Quase … Continue a ler Fontão de beleza natural

Aldeia das Dez vistas para as serras da Estrela e do Açor

A Aldeia das Dez fica na serra do Açor, no concelho de Oliveira do Hospital e faz parte da rede das Aldeias de Xisto. No entanto, quando se chega à povoação pensamos que deve haver engano porque, com excepção da antiga cabine telefónica, as construções são de granito. Fernando Mendes tem um café e um mini-mercado e confirma o alegado equivoco: “o que temos aqui é … Continue a ler Aldeia das Dez vistas para as serras da Estrela e do Açor

Uma Barroca de sensações no roteiro de xisto

A Barroca é uma Aldeia de Xisto, faz parte do concelho do Fundão e a herança do último século deixou uma profunda dualidade.É uma aldeia rural, namora o rio Zêzere que lhe dá nutrientes para alimentar um solo pobre, mas ao mesmo tempo sofre da profunda intervenção do homem na extração mineira. É uma aldeia marcada pelo couto mineiro das Minas da Panasqueira. Está a … Continue a ler Uma Barroca de sensações no roteiro de xisto

Sobral de xisto de S. Miguel

É preciso descobrir. Não se deixe influenciar pela primeira impressão. É enganadora. Uma visão geral esconde os recantos da aldeia que são muito bonitos, como também as paredes das casas escondem que são de xisto. Muitas estão caiadas mas é apenas uma capa de modernidade. Uma forma de esconder o rústico quando o xisto estava associado à pobreza. Não há muitos anos, em particular na … Continue a ler Sobral de xisto de S. Miguel

Que boa vida era a de Martim Branco

Martim Branco é uma pequena aldeia que fica próximo de Almaceda, no concelho de Castelo Branco. Tem pouco mais de duas dezenas de habitantes.A construção tradicional das casas de xisto, concentra-se na Rua da Bica. São cerca de uma dezena de habitações e palheiros. As casas tradicionais são de xisto misturado com seixos e no interior as divisões são feitas com paredes de taipa, ripas … Continue a ler Que boa vida era a de Martim Branco

Caminhar no xisto da serra da Lousã

As aldeias de xisto são uma das marcas da serra da Lousã e quatro estão muito próximas. São também das mais genuínas. Um percurso pedestre permite descobrir Comareira, Aigra Nova, Aigra Velha e Pena e também a serra, as paisagens, a herança da presença humana quando estas aldeias estavam povoadas. O percurso tem cerca de 9km e permite ligar as quatro aldeias. No presente não é … Continue a ler Caminhar no xisto da serra da Lousã

O xisto amarelo e genuíno de Gondramaz

Gondramaz é uma pequena aldeia de xisto a meio de encosta da serra da Lousã. Foi toda renovada e está rodeada de árvores. Encanta os visitantes devido à sua simplicidade. Na verdade é uma rua rodeada de casas pequenas que desce a serra e por vezes se desdobra em pequenas ruelas. O caminho termina com um restaurante e uma piscina. Tudo o resto é xisto. De … Continue a ler O xisto amarelo e genuíno de Gondramaz

Cerdeira e a a arte de renascer uma aldeia

Cerdeira tem uma história recente que já foi argumento para um filme e que agora pode ter um final feliz: a arte de ressuscitar uma aldeia. A história resume-se às zangas triviais entre vizinhos e que neste caso levou a um homicídio. Um homem morreu o outro foi preso e a aldeia ficou uma década sem habitantes. O segundo capítulo começou há 30 anos com … Continue a ler Cerdeira e a a arte de renascer uma aldeia

Candal para namorar ou passar o tempo

Candal impressiona logo à primeira vista. A forma como as casas estão integradas na serra, a sua disposição e os materiais de xisto e madeira fazem um retrato que se torna ainda mais interessante em dias de nevoeiro. A aldeia é um anfiteatro de casas que sobe uma encosta íngreme até ao miradouro. Daqui podemos contemplar as ruelas, a eira e as casas alinhadas em socalcos. … Continue a ler Candal para namorar ou passar o tempo

Casal Novo em xisto velho e Chiqueiro com pastor

Casal Novo e Chiqueiro são duas pequenas aldeias de xisto da serra da Lousã. Estão relativamente próximas no alto de uma encosta e têm ainda em comum outras características que as distinguem das restantes. Nas palavras do presidente da Câmara da Lousã, Luis Antunes, enquanto Talasnal, Cerdeira e Candal têm uma forte componente turística, Casal Novo e Chiqueiro têm uma vertente mais de uso particular. Através desta … Continue a ler Casal Novo em xisto velho e Chiqueiro com pastor

A fama e o merecido proveito do Talasnal

Antes de conhecer Talasnal tem primeiro de o ver no contexto da serra. Há um miradouro na estrada que quebra a vegetação luxuriante só para nos oferecer uma visão de conjunto de uma das aldeias de xisto com mais sucesso. Nas palavras de Luis Antunes, Presidente da Câmara da Lousã, o Talasnal apresenta uma grande dinâmica em termos de serviços e tem tido uma procura … Continue a ler A fama e o merecido proveito do Talasnal

As Portas de Almourão antes da Foz do Cobrão

Foz do Cobrão é uma aldeia que surpreende pela paisagem e pela praia fluvial. Tem ainda o encanto da vista das Portas de Almourão. O nome da aldeia deriva da foz do Rio Cobrão ter lugar aqui, desaguando no Rio Ocreza. Foz do Cobrão pertence ao concelho de Vila Velha de Ródão e está no sopé da Serra das Talhadas. É uma aldeia de xisto … Continue a ler As Portas de Almourão antes da Foz do Cobrão

Sarzedas entre a via romana e o centro de BTT

Sarzedas tem numa extremo uma via romana. No outro lado destaca-se um centro de apoio BTT. Entre os a história e a contemporaneidade a aldeia de Sarzedas revela-se afável e com poucos habitantes. Sarzedas faz parte da rede das Aldeias de Xisto e fica num dos extremos do concelho de Castelo Branco. Algumas habitações foram caiadas de branco e os vestígios do xisto são poucos. … Continue a ler Sarzedas entre a via romana e o centro de BTT

A aldeia fortaleza de Figueira

  Figueira é uma pequena aldeia fortaleza e mantém os traços genuínos do casario de xisto. O núcleo mais antigo está quase todo em “estado bruto” com poucos vestígios de modernidade. As casas estão concentradas junto a uma ribeira e alinhados ao longo do monte. Domina o xisto em ruelas muito estreitas, com traçado medieval. A aldeia foi construída como uma fortaleza. As casas estão juntas … Continue a ler A aldeia fortaleza de Figueira

O renascer de Álvaro e do esqueleto do capitão

O renascer na aldeia de Álvaro tem um duplo significado e uma história de dois séculos. Primeiro vamos ao episódio mais recente. O grande incêndio de Outubro do ano passado que devastou toda a zona circundante e 40 casas de Álvaro. O horizonte começa a dar sinais de renascer mas ainda há manchas de serras cobertas com troncos carbonizados. Na rua principal da aldeia as … Continue a ler O renascer de Álvaro e do esqueleto do capitão