Colchas de S. Jorge e dos Açores

Sem comentários

Este slideshow necessita de JavaScript.

S. Jorge é conhecida como a ilha da tecelagem e as colchas de ponto alto são as mais afamadas. Estão espalhadas por todos os continentes, seguiram a diáspora açoriana e algumas têm mais de um século.
As colchas continuam a ser feitas em teares manuais, em particular na Fajã dos Vimes e seguindo a tradição familiar.

Alzira e Carminda Nunes
Alzira e Carminda Nunes

Alzira e Carminda Nunes são tecedeiras. Seguiram o gosto da bisavó e da avó. Foi assim que Alzira Nunes e a irmã aprenderam a tecer, em particular as colchas tradicionais de ponto alto ou laças puxadas.

A peça que estavam a produzir
A peça que estavam a produzir

Alzira e Carminda trabalham na Casa de Artesanato Nunes, produzem várias peças para além de colchas.
Seguem os desenhos tradicionais, com motivos florais e geométricos e recuperaram desenhos antigos.

Desenhos tradicionais
Desenhos tradicionais

A tecelagem era uma prática usual em quase toda a ilha. Muitas famílias tinham um tear para fazerem vestuário e roupa de cama. Hoje a produção é muito menor mas há ainda quem queira inovar recorrendo aos velhos teares.

Paula Azevedo na sua oficina na Fajã dos Vimes
Paula Azevedo na sua oficina na Fajã dos Vimes

É o caso de Paula Azevedo que tem um tear que era da avó e ela quer dar continuidade a esta actividade. Paula Azevedo é tecedeira, tem uma oficina na Fajã dos Vimes e aposta também em outros materiais. Faz artesanato com reciclagem de vários tecidos. Por outro lado, não está presa à tradição. Produz peças com o ponto alto mas acrescenta renda para lhe dar um toque mais personalizado e diferente.

As cores fortes das colchas de S. Jorge
As cores fortes das colchas de S. Jorge

Quase todas as colchas de S. Jorge têm cores fortes. A tradição era usar corantes naturais à base das plantas.
site_colchas_nunes_DSCF9967A Cooperativa de Artesanato da Senhora da Encarnação, na Urzelina, diz que é um dos poucos sítios no planeta onde as lãs ainda são tingidas com casca de cebola, folha de nogueira, casca de noz ou erva azeda. A cooperativa é especializada na tecelagem de repassos.
As colchas mais antigas de S. Jorge são por vezes tema de exposições em galerias e museus. Há também quem as tenha em casa.

Colcha de 1903
Colcha de 1903

É o caso de António Gomes que tem uma colcha de 1903, numa das casas de alojamento local na Fajã dos Vimes. Muitos hóspedes ficam surpreendidos com a beleza e o bom estado de preservação da colcha de S. Jorge que está pendurada num parede da casa.
Colchas de S. Jorge e dos Açores faz parte do podcast semanal da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, Colchas de S. Jorge e dos Açores, pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s