A estátua que abraça Portugal e Brasil

A estátua do Cristo Redentor, no morro Corcovado, no Rio de Janeiro, é um dos símbolos do Brasil e foi adotado por muitos portugueses. Encontramos imagens semelhantes em regiões portuguesas de forte emigração para o Brasil e, claro, o Cristo Rei em Lisboa. Foi uma iniciativa do cardeal Cerejeira inspirada numa visita ao Rio de janeiro em 1934. Esta relação faz com que muitos brasileiros … Continue a ler A estátua que abraça Portugal e Brasil

O brasileiro

Muitos portugueses foram seduzidos pelo Brasil. Registaram-se vários fluxos emigratórios, em particular da região das Beiras e do Minho. Uma dessas vagas decorreu em meados do século XIX e, quando regressavam, deixaram uma marca que permanece até aos dias de hoje e que resulta de um forte processo de aculturação. Na verdade, é um dos casos onde mais se sente as raízes da “dupla nacionalidade”. … Continue a ler O brasileiro

Museu dos Descobrimentos em Belmonte

Belmonte, a terra natal de Pedro Álvares Cabral, evoca em vários lugares da vila o descobridor do Brasil. Um deles é o panteão dos Cabrais, ao lado da capela da família e do castelo.  No entanto, a terra dos Cabrais evoca o descobridor do Brasil em mais espaços. Na rua principal está uma estátua de uma dimensão considerável de Pedro Álvares Cabral. Foi inaugurada em … Continue a ler Museu dos Descobrimentos em Belmonte

Belmonte – a terra natal de Pedro Álvares Cabral

Os Cabrais foram os senhores de Belmonte e de outras terras mais distantes. Um deles é agora motivo de visita à vila que homenageia o descobridor do Brasil. A partida de Pedro Álvares Cabral na viagem que o levou a Vera Cruz faz esta segunda-feira, 9 de Marços, 520 anos. Na igreja de S. Tiago de Belmonte cruzam-se dois caminhos que marcaram a Europa durante séculos: o … Continue a ler Belmonte – a terra natal de Pedro Álvares Cabral

A penitência franciscana dos Terceiros

No próximo domingo, dia 8 de março, realiza-se em Ovar uma das celebrações religiosas mais relevantes da cidade. Iguais há poucas em Portugal.É a procissão dos Terceiros que em Câmara de Lobos, na Madeira, se chama de Cinzas porque se realizou na quarta-feira de cinzas. Na Ribeira Grande realizou-se no domingo passado. Na cidade açoriana da ilha de S. Miguel tem o nome de Senhor … Continue a ler A penitência franciscana dos Terceiros

As Linhas de Torres que fizeram xeque-mate a Massena

A proposta é de um passeio às Linhas de Torres. Não vamos ser os primeiros. O exército de Napoleão, ficou surpreendido e o general Massena andou um mês a estudar a forma como podia ultrapassar a linha defensiva. Voltou para trás, fez 210 anos a 5 de Março. Deparou-se com uma barreira que o levou a refletir sobre o modo como a ultrapassar e concluiu … Continue a ler As Linhas de Torres que fizeram xeque-mate a Massena

“Onde fica a Escola de Sagres e a casa do Infante?”

O Infante D. Henrique nasceu no Porto há 626 anos. Em 4 de março de 1394. É uma figura destacada na história portuguesa. São muitos os retratos que lhe fizeram e alguns não correspondem à imagem oficial que foi criada. É mesmo dissonante. É afirmado que foi comerciante de escravos em Portugal, que foi hábil ao estar sempre ao lado dos vencedores e a única … Continue a ler “Onde fica a Escola de Sagres e a casa do Infante?”

Primeiro troféu português de futebol foi há 126 anos

A 2 de Março de 1894 realizou-se o primeiro jogo de futebol em Portugal com registo oficial e um troféu. Até foi entregue pelo rei D. Carlos I. Está no CIF – Club Internacional de Foot-Ball. Defrontaram-se o Foot-ball Club Lisbonense e o Foot-ball Club do Porto. O jogo foi no Campo Alegre e ganhou a equipa de Lisboa por 1 a 0. Tiveram de … Continue a ler Primeiro troféu português de futebol foi há 126 anos

O entrudo nas aldeias de xisto de Góis

Este Domingo, a partir das 8h, começa a Corrida do Entrudo em quatro aldeias de xisto do concelho de Góis. O ponto de encontro é na Aigra Nova onde a Lousitânea tem a sede e um ecomuseu. A Lousitânea, Liga de Amigos da Serra da Lousã, é quem organiza a Corrida do Entrudo que há mais de uma década recria o entrudo serrano onde a … Continue a ler O entrudo nas aldeias de xisto de Góis

Butelo e casulas: da mesa dos remediados a ícone de Bragança

O prato de butelo com casulas faz parte do roteiro gastronómico de Bragança e até marca a ementa de um festival gastronómico. No entanto, na Terra Fria, o butelo e as casulas eram a alternativa dos remediados que matavam o porco em Dezembro ou Janeiro e conservavam as carnes até ao Carnaval em que o butelo era consumido. “Era um produto feito com as partes menos … Continue a ler Butelo e casulas: da mesa dos remediados a ícone de Bragança

D. Pedro I, o Cruel, em Jarmelo

No alto de Jarmelo, nas traseiras do edifício da antiga Câmara Municipal, D. Inês de Castro está ladeada de duas crianças, ajoelhada e olha para três homens que revelam insensibilidade à sua dor. As estátuas em metal são do artista Rui Miragaia e inspiram-se no quadro de Columbano Bordalo Pinheiro intitulado O Drama de Inês de Castro. O conjunto escultórico é uma iniciativa da Associação Cultural … Continue a ler D. Pedro I, o Cruel, em Jarmelo

A moda e os amores no Museu de Serra d’ El-Rei D. Pedro I

O amor lendário é evocado no Museu Serra DÉl-Rei D. Pedro I.É uma instalação pequena mas acrescenta algumas leituras à lenda de D. Pedro e Inês de Castro que remonta ao século XIV, quando o Justiceiro, ou o Cruel, andou por aqui. “Desenvolvemos este projeto que visa divulgar a história e a nossa identidade.O Museu aborda a passagem de Inês e a residência de D. … Continue a ler A moda e os amores no Museu de Serra d’ El-Rei D. Pedro I

O Amor Inseparável de Pedro e Inês em Moledo

O Paço de Moledo, no concelho de Lourinhã, foi residência de Dona Inês durante sete anos. Após o exilio em Castela em 1345. D. Pedro costumava ir ao Paço de Serra De El-Rei e escapava-se às escondidas do pai para Moledo, ao encontro da sua apaixonada. Em Moledo Inês foi mãe de três filhos (de D. Afonso, D. João e D. Dinis) cuja paternidade foi … Continue a ler O Amor Inseparável de Pedro e Inês em Moledo

Pedro e Inês nos jardins da Quinta das Lágrimas

Coimbra tem mais encanto na hora dos amores e das lágrimas de Inês de Castro. A lenda de Pedro e Inês marca a cidade. Entre outras referências há o Jardim Quinta das Lágrimas com as fontes imortalizadas por Luís de Camões. Relativamente próximo podemos passear pela ponte pedonal Inês e Pedro, o conjunto escultórico Sob o Signo de Inês está em frente do Jardim da … Continue a ler Pedro e Inês nos jardins da Quinta das Lágrimas

Guerra e Paz em Évora Monte

O castelo é único na Península Ibérica por conjugar uma estrutura defensiva com um paço em estilo renascentista. Nasceu com a guerra da Reconquista, mais tarde foi reconstruído e adaptado às armas de fogo mas nunca esteve envolvido em qualquer conflito. Tiros só de caça. Évora Monte destaca-se também pelo tratado de paz que pôs fim à guerra civil entre liberais e absolutistas. O castelo … Continue a ler Guerra e Paz em Évora Monte

O pitoresco Castelo de Porto de Mós

As encostas arredondadas da serra dos Candeeiros servem de moldura e acrescentam graciosidade ao surpreendente castelo de Porto de Mós. Altivo e gracioso com as varandas decoradas com arcos e as duas torres que terminam em forma de pirâmide e com telha verde forma um conjunto que nos surpreende ao longe, antes de chegarmos à vila. O castelo está num outeiro e é sem dúvida … Continue a ler O pitoresco Castelo de Porto de Mós

Museu João Mário e da pintura figurativa

O Museu João Mário em Alenquer tem cerca de 800 obras em exposição e muitas delas são de pintores relevantes nacionais e estrangeiros, além de pinturas do próprio João Mário. Há um traço comum e é impositivo. Todas as pinturas têm de ser figurativas. “Nos últimos anos este tipo de pintura está um pouco posta de parte e não tem grande atenção de organismos oficiais. … Continue a ler Museu João Mário e da pintura figurativa

O Museu de Arte Sacra de Arouca e da monja que escondeu as peças

O Museu de Arte Sacra do Mosteiro de Santa Maria de Arouca é um dos mais relevantes em Portugal. Segundo Carlos Teixeira de Brito, o Juiz da Real Irmandade Rainha Santa Mafalda de Arouca, depois da Fundação Gulbenkian, “é o que tem a maior coleção privada de arte sacra em Portugal.”. O acervo distingue-se não só pela quantidade mas também pela qualidade. “É muito rico. … Continue a ler O Museu de Arte Sacra de Arouca e da monja que escondeu as peças