O entrudo nas aldeias de xisto de Góis

Este Domingo, a partir das 8h, começa a Corrida do Entrudo em quatro aldeias de xisto do concelho de Góis. O ponto de encontro é na Aigra Nova onde a Lousitânea tem a sede e um ecomuseu. A Lousitânea, Liga de Amigos da Serra da Lousã, é quem organiza a Corrida do Entrudo que há…

Ler Mais

Butelo e casulas: da mesa dos remediados a ícone de Bragança

O prato de butelo com casulas faz parte do roteiro gastronómico de Bragança e até marca a ementa de um festival gastronómico. No entanto, na Terra Fria, o butelo e as casulas eram a alternativa dos remediados que matavam o porco em Dezembro ou Janeiro e conservavam as carnes até ao Carnaval em que o butelo…

Ler Mais

D. Pedro I, o Cruel, em Jarmelo

No alto de Jarmelo, nas traseiras do edifício da antiga Câmara Municipal, D. Inês de Castro está ladeada de duas crianças, ajoelhada e olha para três homens que revelam insensibilidade à sua dor. As estátuas em metal são do artista Rui Miragaia e inspiram-se no quadro de Columbano Bordalo Pinheiro intitulado O Drama de Inês de…

Ler Mais

A moda e os amores no Museu de Serra d' El-Rei D. Pedro I

O amor lendário é evocado no Museu Serra DÉl-Rei D. Pedro I.É uma instalação pequena mas acrescenta algumas leituras à lenda de D. Pedro e Inês de Castro que remonta ao século XIV, quando o Justiceiro, ou o Cruel, andou por aqui. “Desenvolvemos este projeto que visa divulgar a história e a nossa identidade.O Museu…

Ler Mais

O Amor Inseparável de Pedro e Inês em Moledo

O Paço de Moledo, no concelho de Lourinhã, foi residência de Dona Inês durante sete anos. Após o exilio em Castela em 1345. D. Pedro costumava ir ao Paço de Serra De El-Rei e escapava-se às escondidas do pai para Moledo, ao encontro da sua apaixonada. Em Moledo Inês foi mãe de três filhos (de…

Ler Mais

Pedro e Inês nos jardins da Quinta das Lágrimas

Coimbra tem mais encanto na hora dos amores e das lágrimas de Inês de Castro. A lenda de Pedro e Inês marca a cidade. Entre outras referências há o Jardim Quinta das Lágrimas com as fontes imortalizadas por Luís de Camões. Relativamente próximo podemos passear pela ponte pedonal Inês e Pedro, o conjunto escultórico Sob…

Ler Mais

Guerra e Paz em Évora Monte

O castelo é único na Península Ibérica por conjugar uma estrutura defensiva com um paço em estilo renascentista. Nasceu com a guerra da Reconquista, mais tarde foi reconstruído e adaptado às armas de fogo mas nunca esteve envolvido em qualquer conflito. Tiros só de caça. Évora Monte destaca-se também pelo tratado de paz que pôs…

Ler Mais

O pitoresco Castelo de Porto de Mós

As encostas arredondadas da serra dos Candeeiros servem de moldura e acrescentam graciosidade ao surpreendente castelo de Porto de Mós. Altivo e gracioso com as varandas decoradas com arcos e as duas torres que terminam em forma de pirâmide e com telha verde forma um conjunto que nos surpreende ao longe, antes de chegarmos à…

Ler Mais

Museu João Mário e da pintura figurativa

O Museu João Mário em Alenquer tem cerca de 800 obras em exposição e muitas delas são de pintores relevantes nacionais e estrangeiros, além de pinturas do próprio João Mário. Há um traço comum e é impositivo. Todas as pinturas têm de ser figurativas. “Nos últimos anos este tipo de pintura está um pouco posta…

Ler Mais

O Museu de Arte Sacra de Arouca e da monja que escondeu as peças

O Museu de Arte Sacra do Mosteiro de Santa Maria de Arouca é um dos mais relevantes em Portugal. Segundo Carlos Teixeira de Brito, o Juiz da Real Irmandade Rainha Santa Mafalda de Arouca, depois da Fundação Gulbenkian, “é o que tem a maior coleção privada de arte sacra em Portugal.”. O acervo distingue-se não…

Ler Mais

Os tesouros da arte portuguesa no Museu Nacional de Arte Antiga

O traço, as cores, a textura, a estética que marcou a nossa identidade nacional pode ser percecionada mais facilmente através das artes e o Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA) é o local por excelência para essa descoberta. Ganhou esse estatuto porque foi criado no final do século XIX exatamente com esse propósito. A então…

Ler Mais

A picagem das armas do conde de Atouguia

O 11º e último Conde de Atouguia foi supliciado em Lisboa em  13 de Janeiro de 1759. Estava acusado de cumplicidade na tentativa de homicídio do rei D. José. O “azar dos Távoras” de Jerónimo de Ataíde é que era casado com Mariana Bernarda de Távora, filha dos marqueses de Távora, uma linhagem que foi…

Ler Mais

Beco do Chão Salgado

Onde hoje é o Beco do Chão Salgado existiu, até meados do século XVIII, o palácio do Duque de Aveiro. Foi destruído e salgado o terreno para nada mais crescer. O duque de Aveiro foi acusado de ser o autor do disparo contra o rei D. José em 1758 e pagou com a vida. O…

Ler Mais

Igreja da Memória do tiro ao rei

A igreja da Memória tem vários nomes. Também é designada por de Nossa Senhora do Livramento ou de S. José. Todas estas designações remetem para o motivo porque foi construída. Foi neste local que o rei D. José sofreu um atentado em 1758. Três anos depois do tremor de terra de 1755. Na altura, a…

Ler Mais

Vamos ver e ouvir os grous em Campo Maior

Este fim de semana vamos ver grous. A ida é a Campo Maior ao II Festival de Grous. Para quem desconhece esta ave, Rui Machado, técnico de conservação da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, SPEA, faz  uma breve descrição: “o grous é uma espécie grande, muito grande. Para quem nunca viu um grous,…

Ler Mais

Os manipuladores do nosso encanto pelas S.A. Marionetas

Há 22 anos que andam a manipular. Manipulam bonecos, sentimentos, vozes e silêncios. Tudo para que quem assiste aos espetáculos seja envolvido na magia de dar vida aos bonecos. Além da sua materialidade, nós projetamos afetos e partilhamos as emoções. Só é preciso entrar no mundo da fantasia. Do ponto de vista técnico, Sofia Vinagre,…

Ler Mais

Carlos Marques – o contador de histórias irrepetíveis

Carlos Marques é um dos vários andarilhos que anda pelo país a contar histórias. Entra em cena como se tratasse de uma conversa de café, com amigos, vai perguntando a cada um coisas da vida mundana, mas é um jogo, uma técnica de sedução que pratica em “bibliotecas, festivais, encontros, teatros, salas de espetáculo…”. A…

Ler Mais

Miguel Horta vai desenhar histórias com palavras

Miguel Horta é pintor e ilustrador e desde muito cedo se deixou encantar pela palavra. A palavra como instrumento de relação com os outros, um instrumento de compromisso social que foi impulsionado num contexto pessoal, “venho de uma geração pós 25 de Abril e houve uma organização que me influenciou muito, o Centro de apoio…

Ler Mais