Caminhar no planalto mirandês até às arrepiantes arribas do Douro

O percurso de hoje é pelo planalto mirandês. Terra de arribas enormes que acompanham o rio Douro a fazer de fronteira com Espanha. No parque do Douro Internacional.

Fraga do Puio
Fraga do Puio

É esta linha que vamos seguir à descoberta de paisagens deslumbrantes e invulgares. Uma das mais marcantes pode ser vista no percurso pedestre entre Picote e Eira. É a Fraga do Puio.
António Ramos Preto que nasceu em Picote é um apaixonado da sua terra e aprendeu o mirandês, a segunda língua oficial portuguesa. Ele disse-me o nome da fraga em mirandês, Peinha de L Puio, e salientou o seu encantamento sobre a paisagem: “é fantástica.

Fraga do Puio
Fraga do Puio

Projecta-se a 2, 3 km de altura sobre o Douro que passa no fundo das arribas e a vista das áreas floridas é deslumbrante”. Este território do final do planalto mirandês mais os 2,3 km até ao rio são propriedade da Junta de Freguesia onde em cada pedaço de terra foram plantadas oliveiras e amendoeiras. As árvores são dos camponeses e a propriedade é comunitária.

Igreja no Moderno Escondido
Igreja no Moderno Escondido

Quem visitar o miradouro da Fraga do Puio também tem de ir ver as construções em ruína próximo da barragem do Barrocal do Douro.

Pousada no Moderno Escondido
Pousada no Moderno Escondido

Foram utilizadas quando da construção da albufeira, em meados do século passado e fazem parte do chamado Moderno Escondido porque a arquitectura é modernista com influência da escola do Porto.

Barragem de Picote vista da varanda da Pousada
Barragem de Picote vista da varanda da Pousada

Em Miranda do Douro há ainda outro miradouro interessante. É na varanda da Pousada.

Azulejos de Júlio Resende
Azulejos de Júlio Resende

No interior tem ainda o aliciante de vários painéis de azulejos de Júlio Resende.
Seguindo a linha do Douro e o percurso pedestre entre Paradela e S. João das Arribas vamos dar a outro miradouro, o da Penha de Torres.

Penha de Torres
Penha de Torres

É junto à aldeia de Paradela e é o ponto mais oriental de Portugal. Tem também uma paisagem fantástica, um vale que o Douro vai rompendo com paredes verticais superiores a 150 metros. Observa-se igualmente uma barragem mas do lado espanhol.

O Douro em S. João das Arribas
O Douro em S. João das Arribas

Seguimos até à Aldeia Nova e ao Miradouro de S. João das Arribas. De arrepiar. Olha-se a pique para o Douro de uma altura de dezenas de metros. Nem a capela ao lado sossega o espirito.

Praticantes de Slackline em São João das Arribas
Praticantes de Slackline em São João das Arribas

A sorte foi a atenção ser partilhada com praticantes de Slackline que atravessavam o desfiladeiro. A fita tinha uma extensão superior a 200 metros e alguns centímetros de largura.


Ao longo do planalto a paisagem tem muitas variações. Das arribas onde voam os grifos e as águias Bonelli até espaços mais abertos onde domina a vinha, o olival e as amendoeiras e por vezes, num pequeno caminho, o burro mirandês.

Vista do Douro em Miranda
Vista do Douro em Miranda

Várias paisagens que para António Ramos Preto têm um ponto comum: o domínio de uma luz intensa. “É uma paisagem única. Diz-se que Lisboa é uma cidade branca e eu poderei dizer que o nordeste transmontano, nomeadamente o planalto mirandês, tem uma luz amarela, intensa e inolvidável.”

Bola Doce Mirandesa
Bola Doce Mirandesa

Para recuperar calorias tem de provar a Bola Doce Mirandesa. Um doce que é uma das marcas gastronómicas da região com tradições na Páscoa e que vai ter uma festa em Miranda do Douro entre 18 e 20 de Abril.
O doce tem vários fiéis e a fama é merecida. Não é Bô, Bem me eu Finto.
Aqui encontra os vários percursos pedestre no planalto mirandês no Concelho de Miranda do Douro.

António Ramos Preto
António Ramos Preto

Caminhar no planalto mirandês até às arrepiantes arribas do Douro faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo