O affaire com Perth

Perth é simples.
Nós gostamos mas não nos encanta. Não é uma paixão.
É apenas um affaire para nos engajar à Austrália, caso seja esta a porta de entrada.

6 comentários

Perth tem algumas particularidades que justificam uma paragem, quanto mais não seja para tocar o sino.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A viagem de avião na Tigerair proveniente de  Melbourne demorou três horas e o relógio também andou para trás três horas.

Perth theatre
Teatro de Perth

Em Perth o aeroporto estava em obras, não foi fácil descobrir transporte público (fica a 15 km da cidade) e optei pelo táxi. Paguei 43$AUD e fui recebido por um taxista simpático e viajado pela Ásia e Europa.
Quando chegámos ao hotel, caiu uma forte chuvada, mau pronúncio para um passeio.

Perth musician
Músico de rua junto a área comercial

Mais tarde, acabei por arriscar e descobrir uma cidade com poucos cafés, muitos bares, algumas pessoas a andar na rua, outras em esplanadas, algumas praças (uma das mais bonitas era em frente aos correios) e alguns edifícios antigos preservados.

A sede do município dava nas vistas por ser de arquitetura antiga e estar decorada com luzes fortes.
As ruas principais também tinham decorações natalícias. Para além do município e de mais alguns prédios, no centro da cidade pouco resta da história de Perth.
Quase tudo foi destruído e, agora, estão a tentar preservar e restaurar.

Este esforço abrangia um dos principais pontos de acesso ao rio, que foi ocupado por terra e estavam na altura a restabelecer a ligação com a cidade.

Belt Tower
Belt Tower

Ficava mesmo em frente da área das esplanadas, do cais de onde partiam os barcos e está o monumento sobre os sinos.
A Belt Tower  tem seis pisos, abriu em 2001 e pretendia ser um dos pontos turísticos da cidade. Tem o sino mais antigo da Austrália e uma galeria com 12 sinos.

Alguns deles são muito grandes. A exposição permanente tinha ainda sinos oferecidos por outros países e explicava a origem, a relação com os relógios e a sua função em várias culturas.

Do cais pode-se fazer uma viagem agradável até South Perth.
O bilhete de ida e volta custou 2.90$Aud e expira em duas horas.
A deslocação foi num ferry pequeno e demorou menos de 10 minutos.

O Swan River parece calmo e a viagem de barco deu boas perspectivas da cidade, as docas, o Kings Park e uma longa via rodoviária que faz a ligação para o Sul.

boat to South Perth
Barco para South Perth

O ambiente na South Perth era muito parecido com o centro da cidade.
Sem torres, pacato, com muitos restaurantes e pubs e pessoas a passear a pé ou de bicicleta.
Tudo estava limpo, muito organizado e com parques em várias zonas.
Simples, acolhedor e descontraído.

Perth south
South Perth

A vivência na cidade é um pouco assim.
Descontraída e não há grande movimento de turistas, porque não é dos destinos mais procurados na Austrália.
Na verdade, a cidade também não tem muito para turista ver.

Perth Mint
Perth Mint

Perth Mint é talvez um dos edifícios mais notáveis, com um amplo espaço verde em frente.
É o museu da moeda.
Um pouco mais à frente, em direção ao rio, destaca-se também a St George’s Cathedral, uma igreja anglicana. É linda, construída com tijolo e um espaço verde à sua frente.
Quando a visitei, estava a decorrer um ritual religiosos e entrei por uma porta lateral.
O interior era deslumbrante, em madeira, com vitrais que deixavam entrar uma luz amena. No altar, um meticuloso trabalho em placa dourada.

Government House
Government House

A visita aos parques é outra atividade interessante. Percebe-se melhor o dia a dia dos locais. Há muitos em Perth.
Um dos que se destaca, alberga a sede do município e a Government House, onde está a Governadora da Austrália Ocidental. O edifício é também em tijolo, com várias alas e em frente está o jardim, também muito extenso, com um relvado enorme que faz a ligação ao rio. Cerca de dois quilómetros.
Era um dos locais preferidos para quem pratica marcha, corre a pé ou anda de bicicleta.

A zona verde de Perth  mais conhecida é o Perth Kings Park. Fui até lá de autocarro (Perth tem a particularidade de ter quatro linhas de autocarro que são gratuitas, a frequência é de cerca de 10 minutos e percorrem todo o centro da cidade).

Kings Park
Kings Park

O Kings Park é um jardim botânico gigantesco. Tem amplos relvados e plantas da região ocidental da Austrália. Pelo meio há alguns edifícios públicos, como é o caso do centro de informação. Havia também um café, uma zona para piqueniques e um memorial aos australianos que morreram na II Grande Guerra. Bonitos, com dois blocos, um com flores e uma chama e o outro, com uma torre. Está de frente para a cidade.
O Kings Park situa-se no alto de uma colina e daqui é espetacular a vista da cidade, do estuário do Swan, das docas, do centro urbano, da iluminação ao anoitecer…

Gastronomia: a habitual diversidade asiática. Em Perth jantei num restaurante chinês e coreano. Simples, serviço eficiente e barato. Um outro jantar foi indiano. Annalakshmi  é um restaurante vegetariano que ficava mesmo ao lado dos ferries. A vista era fantástica, frequentado por locais, de várias idades e cada um pagava o que quisesse.
Em South Perth, almocei num restaurante malaio, ficava meio escondido mas era procurado pelos locais, um atributo a que dou bastante valor quando da escolha. Em quase 20 minutos ficou cheio de gente. Galinha, arroz e vegetais pouco cozidos. Estava saboroso e custou 11$Aud.

Ver:
Sydney é um postal ilustrado
Fomos à Ópera de Sydney

O Charme de Melbourne
Um café expresso em Fremantle
Austrália – InfÚtil

Galeria de Fotos

6 comments on “O affaire com Perth”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s