Aigra Velha e enigmática

Sem comentários

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aigra Velha é muito pequena, tem meia dúzia de casas, mas é das mais enigmáticas e interessantes entre as várias aldeias de xisto desta parte da serra da Lousã.

Aigra Velha
Aigra Velha

A maior parte das casas são térreas com portas de madeira e algumas guardavam animais. Ouviam-se cabras numa das casas e noutra um cão fazia imenso esforço para romper por debaixo de uma porta, ou pelo menos observar as visitas.

Cão tenta ver as visitas
Cão tenta ver as visitas

Na esquina ao lado surgiu um gato, sem metade de uma orelha.
A proteção contra intrusos era um dos motivos porque as casas estavam viradas umas para as outras e com ligações internas entre elas.

A origem do povoado remonta ao séc. XVI e os intrusos podiam ser lobos ou pessoas, como os fiscais do Estado Novo que confiscavam alimentos. 
Perante esta contrariedade, os habitantes construíram um esconderijo entre a cozinha e os currais.
Esta função hoje é desnecessária porque a aldeia está quase despovoada.

Casal de habitantes
Casal de habitantes

Numa casa havia roupa estendida e um casal tratava da vinha perto do ribeiro que passa num vale.

Bica de Aigra Velha
Bica de Aigra Velha

Acede-se ao vale através da Quelha da Bica. Tem este nome devido a uma fonte no início da descida.
A encosta está cultivada. Antes era terra de pastoreio.

Forno e alambique
Forno e alambique

No meio da aldeia há um forno e um alambique. Foram recuperados e fazem aqui broa de milho e a aguardente, seguindo um processo de fabrico centenário.

Fazem parte do património da família Claro, um pastor que se apercebeu que o abandono das aldeias iria levar à perda de todo o património cultural.
Conta-nos Jorge Lucas, da Lousitânea a Liga de Amigos da Serra da Lousã, que foi André Claro quem deu o impulso para a revitalização destas aldeias de xisto.

Toda a zona envolvente está arborizada, com muitos pinheiros. Antes faziam queimadas para rejuvenescer a vegetação, uma prática em desuso.

Aigra Velha
Aigra Velha

Aigra Velha fica no alto de uma encosta, a mais de 700 metros de altitude, não muito longe de Aigra Nova e da Pena.
Da aldeia consegue-se ver a Serra da Estrela e os Penedos de Góis, que parecem estar  muito perto, mas a distância é grande.

Tal como sucedeu em outros lugares desta região, os cães são o comité de receção.
Eles percebem quem é visitante e aproximam-se com ar meigo, à espera de um petisco.

Aigra Velha fica a 14km de Góis e o acesso pela N342 é sempre por estrada, estreita e alcatroada.

Aigra Velha e enigmática faz parte do podcast semanal da Antena1 Vou Ali e Já Venho e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, Aigra Velha e enigmática, pode ouvir aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s