Algodres tem um pelourinho “com uma altura que é uma coisa maluca”

Os relatos de viagens estão cheios de hipérboles e uma das inspirações é em Algodres. Estamos a 700 metros de altitude, no topo de uma encosta, e o miradouro do alto da vila é uma das varandas com melhor vista para a serra da Estrela.O granito domina no casario. Na construção das casas e nos penedos enormes que na encosta separam a parte mais recente … Continue a ler Algodres tem um pelourinho “com uma altura que é uma coisa maluca”

A gruta do Escoural da natureza e de caçadores

A Gruta do Escoural é um dos refúgios da nossa história e um encanto pela beleza natural do calcário que se mostra robusto em algumas partes, noutros cantos os pedaços estão num equilíbrio periclitante e no tempo de chuva revela que é um abrigo com muitas fissuras. O espaço não é muito grande. A gruta terá cerca de 20 metros de profundidade mas os visitantes … Continue a ler A gruta do Escoural da natureza e de caçadores

Elvas “a chave do reino”

Elvas tem o maior sistema de defesa com baluartes do Mundo e, recorrendo a uma metáfora, podemos dizer que é uma cidade à prova de bala ou a tiro de canhão. Na ficção científica, seria “a base da Guerra das Estrelas”. Passo a citar que conhece bem a cidade, Margarida Ribeiro:  “Elvas é uma cidade quartel. Não é um quartel. É a cidade. Toda a … Continue a ler Elvas “a chave do reino”

A confluência de Soure

Rios que correm para Norte juntam-se em Soure e ganham força até à confluência com o Mondego. A mesma função teve o castelo que pertencia à linha de defesa de Coimbra.  Os rios Anços e Arunca mostram maior resistência e, por vezes, maior  rebeldia ao controlo dos homens com inundações em áreas habitadas e estradas. Soure fica escondida a sul do rio Mondego e a … Continue a ler A confluência de Soure

O pitoresco Castelo de Porto de Mós

As encostas arredondadas da serra dos Candeeiros servem de moldura e acrescentam graciosidade ao surpreendente castelo de Porto de Mós. Altivo e gracioso com as varandas decoradas com arcos e as duas torres que terminam em forma de pirâmide e com telha verde forma um conjunto que nos surpreende ao longe, antes de chegarmos à vila. O castelo está num outeiro e é sem dúvida … Continue a ler O pitoresco Castelo de Porto de Mós

Pintar e cantar os Reis no concelho de Alenquer

Quem desconhece o motivo fica surpreendido. Percorremos algumas ruas onde todas as casas têm desenhos e siglas pintadas nas paredes próximo da porta de entrada. Em cerca de uma dezena de aldeia do concelho de Alenquer. Na verdade, quem conhece os códigos, fica a saber a caraterização de cada família. Diz José Barbieri que, por exemplo, se “numa casa, no último ano, morreu alguém, as … Continue a ler Pintar e cantar os Reis no concelho de Alenquer

Paisagem da vinha no Pico que é Património Mundial

São as vinhas que resistem à ira do vento temperado com o sal do mar. São as vinhas que brotam da terra agreste, com poucos dias de sol e coberta de pedras de basalto e grandes superfícies de lava espalhada pelos terrenos. Apesar de todas as adversidades, a que se juntava a pobreza, as tempestades e a fúria vulcânica, os povoadores logo a partir do … Continue a ler Paisagem da vinha no Pico que é Património Mundial

O património da Linha do Oeste

Viajar nos cerca de 200 km da Linha do Oeste é assistir ao vivo a um documentário sobre a criação dos caminhos de ferro em Portugal. A circulação ferroviária na Linha do Oeste, entre Lisboa e a Figueira da Foz começou no final do século XIX e nos dias de hoje podemos ver uma parte substancial do património de muitas estações que ainda é o … Continue a ler O património da Linha do Oeste

Castelo de Germanelo onde os criminosos eram livres

Germanelo é o nome de um castelo fora de prazo. Foi mandado construir por D. Afonso Henriques em 1143 para proteger Coimbra e o Mondego. Só que, o Conquistador foi tão rápido que cinco anos depois já tinha tomado Santarém e Germanelo perdeu a sua razão de ser. Entrou em decadência e desmoronou-se tal como a sua relevância. Restou parte de uma muralha que foi reconstruída … Continue a ler Castelo de Germanelo onde os criminosos eram livres

A rua do Ácido Sulfúrico no Bairro da Cuf

O bairro operário é uma ilha no meio do imenso universo industrial da antiga CUF. Uma ilha que preserva a memória do colosso fabril e que se procura revitalizar. São pouco mais de três centenas de casas térreas todas alinhadas em banda. Porta ao meio e uma janela da cada lado. As casas estão irmanadas e as que estão no mesmo passeio partilham a cor. Quase … Continue a ler A rua do Ácido Sulfúrico no Bairro da Cuf

Pinhão D’ouro

O Douro tem uma das mais bonitas linhas ferroviárias portuguesas e a estação de Pinhão é ponto de paragem obrigatório. No passado porque era para abastecer a caldeira do comboio a vapor. Agora, o Comboio Histórico do Douro repete parte dos procedimentos mas além de se reviverem os rituais do transporte ferroviário de há um século atrás a estação do Pinhão também nos mostra como era … Continue a ler Pinhão D’ouro

S. Bento – a estação dos cabeças no ar

A Estação de S. Bento no centro histórico do Porto tem sido distinguida como uma das mais bonitas do Mundo e, podemos exagerar um pouco, é uma estação de cabeças no ar. Tantos que por vezes é impossível tirar uma fotografia sem alguém estar a olhar para o tecto. De mapa na mão, centenas de turistas visitam diariamente o vestíbulo de passageiros para verem os painéis … Continue a ler S. Bento – a estação dos cabeças no ar

Estação do Rossio – uma das mais bonitas do Mundo

A Estação do Rossio em Lisboa é uma das mais bonitas em todo o mundo. Não passa despercebida a muitas publicações internacionais que por várias vezes lhe atribuíram esse estatuto. A Estação do Rossio não tem a dimensão de gares de Paris ou Nova Iorque mas, certamente com base subjectiva, supera-as com a beleza de um edifício em pedra lioz e com um estilo único. A … Continue a ler Estação do Rossio – uma das mais bonitas do Mundo

Sinta-se em casa na estação de comboios de Caminha

Uma casa típica portuguesa. Vamos esperar o comboio como se estivéssemos em casa. É este o conceito que podemos inferir das pequenas estações de comboio que foram construídas há cerca de um século e que encontramos em vários lugares do pais. Caminha é um bom exemplo. Paula Azevedo, arquitecta da Unidade de Património Histórico e Cultural da IP Património, descreve-a como uma estação de passagem … Continue a ler Sinta-se em casa na estação de comboios de Caminha

Ponto de encontro em Ourém é no castelo

O castelo de Ourém é um dos mais interessantes de Portugal. Devido à sua beleza e também pelas histórias que preserva. Está classificado como Monumento Nacional. A fortificação está num monte, com uma subida íngreme e ergue-se vigilante da cidade de Ourém. Tem duas grandes construções. O Paço dos Condes com dois enormes torreões e a cidadela que é ainda maior. Entre as duas estruturas em … Continue a ler Ponto de encontro em Ourém é no castelo

O heroísmo de Angra e do Monte Brasil

Angra do Heroísmo é cidade património mundial. Foi a primeira em Portugal a ter esta distinção da Unesco mas ela, de certa forma, representa a história de todo o país nos Descobrimentos. Escala obrigatória das caravelas, Angra do Heroísmo foi ponto de confluência de culturas e o seu património resulta da vivência desta fusão. A classificação pela Unesco não foi apenas pelo património edificado, os … Continue a ler O heroísmo de Angra e do Monte Brasil

O Montinho romano das Laranjeiras

Os romanos tinham bom gosto. Construíram uma Villa mesmo ao lado do rio Guadiana com uma bela vista e num sitio agradável para viver. Ainda hoje quando se visita a Villa Romana do Montinho das Laranjeiras temos essa sensação. Uma ligeira encosta junto ao rio que aqui se manifesta sereno e imponente devido à extensão do seu percurso que é visível. No presente tem muitas embarcações … Continue a ler O Montinho romano das Laranjeiras