A confluência de Soure

Rios que correm para Norte juntam-se em Soure e ganham força até à confluência com o Mondego. A mesma função teve o castelo que pertencia à linha de defesa de Coimbra.  Os rios Anços e Arunca mostram maior resistência e, por vezes, maior  rebeldia ao controlo dos homens com inundações em áreas habitadas e estradas. Soure fica escondida a sul do rio Mondego e a … Continue a ler A confluência de Soure

Castelo de Germanelo onde os criminosos eram livres

Germanelo é o nome de um castelo fora de prazo. Foi mandado construir por D. Afonso Henriques em 1143 para proteger Coimbra e o Mondego. Só que, o Conquistador foi tão rápido que cinco anos depois já tinha tomado Santarém e Germanelo perdeu a sua razão de ser. Entrou em decadência e desmoronou-se tal como a sua relevância. Restou parte de uma muralha que foi reconstruída … Continue a ler Castelo de Germanelo onde os criminosos eram livres

O castelo de Montemor-o-Velho que guarda a Senhora do Ó

O castelo de Montemor-o-Velho é uma das maiores fortificações em Portugal. A sua origem é árabe e teve um papel importante na defesa do Mondego e de Coimbra no período da Reconquista. Ainda hoje se percebe a sua imponência e a vista ampla que alcança. É também um museu ao ar livre com dez séculos de história.Conforme conta Sandra Lopes, responsável de Cultura e Turismo … Continue a ler O castelo de Montemor-o-Velho que guarda a Senhora do Ó

Castelo e castelejo de Penela

O castelo de Penela teve uma função importante na defesa de Coimbra. Essencialmente quando a corte se mudou para a cidade do Mondego no tempo da Reconquista. O castelo está em cima de rochedos, a sua forma adapta-se ao terreno e as muralhas também variam em altura. Do tempo das guerras da Reconquista resta apenas o castelejo. É a única parte da fortaleza que é … Continue a ler Castelo e castelejo de Penela