Janarde de pura natureza junto ao rio Paiva e no meio de serras de Arouca

Janarde é uma pequena aldeia do concelho de Arouca que preserva fortes traços do universo rural e está num lugar isolado. Serras cercam o vale. Estamos rodeados de natureza. Fora do pequeno espaço urbano os únicos vestígios da intervenção humana são os cabos de transporte de energia eletrica e o serpentear da estrada. Quem define o caminho da rodovia são cerca de uma dezena de … Continue a ler Janarde de pura natureza junto ao rio Paiva e no meio de serras de Arouca

Vide está no melhor de dois mundos

Vide é um breve ponto de passagem entre as serras do Açor e da Estrela e faz também a ligação entre os vales e alguns dos lugares mais altos de Portugal. Conjuga ainda a natureza do xisto com a montanha de granito. Está no melhor de dois mundos. O elo de ligação é uma bonita ponte românica, com um arco perfeito, que dá passagem à … Continue a ler Vide está no melhor de dois mundos

Torre da Paz de Benfeita dá hoje 1620 badaladas – II Grande Guerra terminou há 75 anos

O fim da II Guerra Mundial é todos os anos evocado em Benfeita, uma aldeia do concelho de Arganil. Foram 1620  os dias da Segunda Grande Guerra e são também 1620 as badaladas que são tocadas um pouco antes das 15h na Torre da Paz, uma estrutura de xisto que se destaca no meio da encosta da serra do Açor e que foi construída para … Continue a ler Torre da Paz de Benfeita dá hoje 1620 badaladas – II Grande Guerra terminou há 75 anos

Praia fluvial de Ortiga

A praia fluvial de Ortiga fica num lugar muito calmo, na junção da Ribeira de Eiras com a albufeira da barragem de Belver.O enorme espelho de água está rodeado de árvores que são mais vistosas próximo da albufeira.A piscina flutuante é o lugar mais procurado para quem se quer refrescar. Podem ainda ser feitas outras atividades. Por exemplo andar de kayak. Quando falei com Márcio … Continue a ler Praia fluvial de Ortiga

A praia fluvial de Fornelos

A praia Fluvial de Fornelos é uma piscina natural resultante de um açude que trava as águas do Rio Aguilhão. Lençóis de relva acompanham o percurso da água e todo o espaço está cuidado e com equipamentos de apoio. Nos dias de calor é um refúgio para as gentes do Marão, desde Vila Real a Santa Marta de Penaguião, que procuram a frescura da água. Alguns … Continue a ler A praia fluvial de Fornelos

A represa natural da Louçainha

A praia fluvial da Louçainha está escondida no meio da serra e a mão humana limitou-se a adaptar o que a natureza já fazia com duas represas naturais. A ribeira da Azenha faz aqui uma travessia mais lenta antes de se despenhar na cascata da Pedra da Ferida que fica um pouco mais à frente. A água surge por uma passagem estreita e depois forma dois … Continue a ler A represa natural da Louçainha

O Pego escondido das Pias

A praia fluvial do Pego das Pias é uma obra de arte da ribeira do Torgal. A erosão provocada pela água criou arcadas e espelhos de água num maciço rochoso. São piscinas naturais. Foi quando a ribeira tinha mais água, mais altura e mais força. Por outro lado, os redemoinhos de água com pedras esculpiram as rochas e formaram muitas concavidades que são vitais para … Continue a ler O Pego escondido das Pias

Poço do Inferno ao Paraíso

Chamam-lhe Poço do Inferno mas o nome não é correto. Seria mais adequado designar a cascata como Poço do Paraíso. Por vários motivos. A queda de água está isolada no meio da Serra da Estrela. Fica meio escondida entre dois blocos de rocha e está envolvida por vegetação densa que na proximidade da água é de um verde exuberante. Tem cerca de 10 metros de … Continue a ler Poço do Inferno ao Paraíso

As portas e a piscina de Foz do Cobrão

Foz do Cobrão tem uma praia fluvial muito bonita. Com mais rigor é uma piscina natural. O ribeiro desce a serra das Talhadas numa encosta junto à aldeia. Passa mesmo ao lado do casario e forma um espelho de água com um pequeno areal antes de se projetar na Cascata Poço de Mel e depois deixa-se escapar por debaixo de uma ponte. No meio do … Continue a ler As portas e a piscina de Foz do Cobrão

Jardim do Éden de Loriga

Em Loriga o património natural é fabuloso e é difícil escolher por onde começar. Talvez a melhor opção seja recorrer ao qualificativo de um casal, Alberto Marques e Maria dos Anjos, que residem no paraíso: “Loriga é um paraíso. É uma estrela. Já foi superior, perdeu mais de metade da sua população.” No último Censos, em 2011, Loriga tinha 1053 habitantes. Em meados do século … Continue a ler Jardim do Éden de Loriga

O desconhecido e fascinante Desfiladeiro do Cabril do Ceira

É provável que vá ganhar algumas inimizades. Há quem tenha o exclusivo de uma das praias fluviais mais bonitas de Portugal e que é um segredo. Um longo e alto desfiladeiro é atravessado pelo rio Ceira e termina com um pequeno açude que ajuda a formar uma piscina natural. É muito bonita. Forma um espelho de água que reflete as paredes quartzíticas das encostas como … Continue a ler O desconhecido e fascinante Desfiladeiro do Cabril do Ceira

Foz d´Égua é um presente da natureza

Foz d´Égua é um encanto. Uma maravilha escondida na serra do Açor, a cerca de 3km do Piódão e é local obrigatório de visita. Em qualquer época do ano encanta os nossos sentidos. Na Primavera tem o colorido das giestas e de outra vegetação em flor até ao topo da encosta.No Verão é bom para refrescar na praia fluvial. Antes de chegarmos, ainda na estrada do … Continue a ler Foz d´Égua é um presente da natureza

Candal para namorar ou passar o tempo

Candal impressiona logo à primeira vista. A forma como as casas estão integradas na serra, a sua disposição e os materiais de xisto e madeira fazem um retrato que se torna ainda mais interessante em dias de nevoeiro. A aldeia é um anfiteatro de casas que sobe uma encosta íngreme até ao miradouro. Daqui podemos contemplar as ruelas, a eira e as casas alinhadas em socalcos. … Continue a ler Candal para namorar ou passar o tempo

As Portas de Almourão antes da Foz do Cobrão

Foz do Cobrão é uma aldeia que surpreende pela paisagem e pela praia fluvial. Tem ainda o encanto da vista das Portas de Almourão. O nome da aldeia deriva da foz do Rio Cobrão ter lugar aqui, desaguando no Rio Ocreza. Foz do Cobrão pertence ao concelho de Vila Velha de Ródão e está no sopé da Serra das Talhadas. É uma aldeia de xisto … Continue a ler As Portas de Almourão antes da Foz do Cobrão

A aldeia fortaleza de Figueira

  Figueira é uma pequena aldeia fortaleza e mantém os traços genuínos do casario de xisto. O núcleo mais antigo está quase todo em “estado bruto” com poucos vestígios de modernidade. As casas estão concentradas junto a uma ribeira e alinhados ao longo do monte. Domina o xisto em ruelas muito estreitas, com traçado medieval. A aldeia foi construída como uma fortaleza. As casas estão juntas … Continue a ler A aldeia fortaleza de Figueira

O renascer de Álvaro e do esqueleto do capitão

O renascer na aldeia de Álvaro tem um duplo significado e uma história de dois séculos. Primeiro vamos ao episódio mais recente. O grande incêndio de Outubro do ano passado que devastou toda a zona circundante e 40 casas de Álvaro. O horizonte começa a dar sinais de renascer mas ainda há manchas de serras cobertas com troncos carbonizados. Na rua principal da aldeia as … Continue a ler O renascer de Álvaro e do esqueleto do capitão