Etiqueta: moinhos

Um Gavião de moinhos

Vamos andar por caminhos no concelho do Gavião que nos levam a descobrir moinhos de água, história de gentes locais e também de figuras históricas nacionais. O primeiro percurso é na freguesia de Margem. É a Rota dos Moinhos da Ribeira de Margem que nos leva à foz da ribeira onde existe um núcleo de

Continue a ler

O ícone da Graciosa

Os moinhos da Graciosa destacam-se entre o verde da ilha açoriana. A forma e a cor vermelha fazem destes moinhos um ícone. A cúpula vermelha que termina em bico é o elemento que mais se destaca. É também o que mais facilmente determina a sua origem europeia. Dizem que o vermelho é a cor original

Continue a ler

O inventor dos moinhos de S. Jorge

Na ilha de S. Jorge há vários tipos de moinhos de vento e de água. Nas encostas à beira das estradas é frequente encontrar os de água. Um dos enquadramentos mais interessantes é na estrada para a Fajã dos Vimes. Distinguem-se também os moinhos movidos a vento que têm uma forma triangular e com rodas.

Continue a ler

O “guardião dos fósseis” da aldeia lagarto

Penha Garcia é a aldeia lagarto da raia. Espraia-se ao longo de uma encosta enorme e fica ao sol todo o dia. Casas rebocadas de branco e outras de pedra em tom alaranjado na zona mais antiga. Mesmo no alto da penha está o castelo que observa Espanha, Monsanto e Penamacor. Do outro lado da

Continue a ler

Roteiro Renascer em Penacova

O património natural é uma das maiores riquezas do concelho de Penacova. Foi muito afetado com os incêndios do ano passado mas é uma região com muitos pontos de interesse e merece ser uma das sugestões do Roteiro Renascer. O concelho tem muitas serra e dois rios, o Mondego e o Alva, que são marcas

Continue a ler

Pé na Cova e moinho na serra

Penacova é um dos concelhos europeus com mais moinhos. No verão os moleiros faziam a moagem nos moinhos de vento. No inverno era nas azenhas. Vitorino Nemésio teve três moinhos e vinha para aqui moer as palavras. No concelho de Penacova há mais de 50 moinhos, cerca de metade estão bem conservados  e poucos ainda

Continue a ler